Durante a vitória por 3 a 1 do Liverpool sobre o Manchester City no domingo (10), Raheem Sterling e Joe Gomez haviam tido uma discussão mais ríspida, trocando empurrões após uma disputa de bola. Os ânimos não se acalmaram no dia seguinte. Nesta segunda-feira (11), depois de confrontar o zagueiro dos Reds na concentração da seleção inglesa, Sterling se excedeu e acabou retirado do jogo contra Montenegro, nesta quinta-feira (14).

Em nota oficial publicada ainda na segunda, a Federação Inglesa anunciou a exclusão de Sterling da partida pelas eliminatórias da Euro 2020 “como resultado de uma perturbação em uma área privada da equipe em St. George’s Park hoje”. Segundo a imprensa inglesa, Sterling teria tentado agarrar o pescoço de Gomez ao chegar na cantina onde a equipe faz suas refeições.

Apesar da punição rápida, a federação confirmou que o jogador do Manchester City continuará com o elenco durante a data Fifa, podendo atuar contra Kosovo no domingo (17).

“Um dos grandes desafios e forças para nós foi conseguirmos separar as rivalidades de clubes da seleção nacional. Infelizmente, as emoções do jogo ainda estavam exaltadas. Minha sensação é de que a coisa certa para a equipe é a ação que tomamos. Agora que a decisão foi tomada com o acordo de todo o elenco, é importante que apoiemos os jogadores e foquemos a noite de quinta”, explicou o técnico da seleção inglesa, Gareth Southgate.

Em publicação no Instagram, Sterling reconheceu seu erro e afirmou que tudo está certo entre ele e Gomez. “(…) Tanto eu como o Joe trocamos algumas palavras, acertamos as coisas e seguimos em frente. Estamos em um esporte em que as emoções estão à flor da pele, e sou homem o bastante para admitir que essas emoções me dominaram. (…) Joe Gomez e eu estamos bem. Nós dois entendemos que foi algo de cinco, dez segundos, acabou. Seguimos em frente e não tornaremos isso maior do que é.”

Algo que a imprensa inglesa parece estar disposta a fazer, circulando rumores de que o elenco da seleção não gostou nada de o fato ter se tornado público. Se, por um lado, essa informação não é verificável, Rio Ferdinand, ex-jogador do Manchester United e da própria seleção, por sua vez, condenou publicamente Gareth Southgate por seu tratamento da situação.

“O Gareth tem lidado brilhantemente com o trabalho de técnico da Inglaterra – até este momento. Entretanto, sinto que esse incidente poderia ter sido melhor administrado. Mantenha isso a portas fechadas e lide com isso internamente. Agora o Raheem precisa se defender de todos os haters que tiveram que manter seus teclados desligados porque ele havia se tornado um embaixador tão valioso para o futebol inglês – e merecidamente”, escreveu Ferdinand no Facebook.

O incidente acende um alerta para a equipe. Em retrospectiva, jogadores da brilhante mas fracassada geração passada, de Gerrard, Lampard e do próprio Ferdinand, avaliaram em declarações nos últimos anos que um dos problemas que afetaram aquela equipe havia sido a incapacidade de justamente separar as rivalidades no futebol de clubes do objetivo comum de seleção. Em um momento de construção de uma geração, o episódio desta semana cria um obstáculo com possíveis desdobramentos futuros – ao menos na cobertura local.