Lionel Messi é o melhor jogador do Barcelona, quanto a isso não há questões. No entanto, o camisa 10 possui um concorrente de peso para se dizer quem é o atleta mais imprescindível no elenco de Ernesto Valverde. Se as partidas decididas pelo artilheiro são inúmeras, da mesma maneira Marc-André ter Stegen garante vários resultados atrás. O goleiro atravessa uma fase espetacular há meses e a cada partida coleciona defesas essenciais. A aposta feita pelos blaugranas em 2014 se paga completamente. Não é exagero colocá-lo entre os três melhores goleiro do mundo hoje – e brigando seriamente pela primeira posição.

Contudo, vale lembrar que nem sempre Ter Stegen desfrutou de tamanho moral no Camp Nou. Em suas duas primeiras temporadas, o goleiro participava apenas das copas, enquanto Claudio Bravo era o dono da meta no Campeonato Espanhol. Nesta semana, o alemão admitiu que, não fosse a escolha feita pela comissão técnica o favorecendo, ele teria deixado o clube há três temporadas. Não estava satisfeito em atuar apenas parcialmente nas principais competições.

“Basicamente, Claudio e eu conseguimos lidar bem com a situação. Ele é um grande goleiro, que ganhou a posição na época. O técnico não precisou mudar, porque tinha um goleiro na liga que vinha de ótimas atuações. Obviamente, você começa a ponderar o seu futuro, porque jogar é o mais importante. Não seria melhor se o técnico me falasse que eu iria jogar La Liga e Bravo ficaria nas demais competições. Não era o que eu queria e em 2016 comecei a pensar em deixar o Barcelona. O clube conversava conosco o tempo todo. Claudio e eu lidamos com a situação abertamente, falávamos o que não queríamos. Então, ficou insustentável e o Barcelona claramente decidiu por mim. Acho que compensei a escolha até o momento”, declarou, ao Goal.com.

O momento crucial a Ter Stegen aconteceu na temporada 2016/17. Confirmou a sua titularidade, enquanto Claudio Bravo seguiu ao Manchester City para trabalhar com Pep Guardiola. O tempo mostrou como os blaugranas estavam certos. Enquanto o chileno se afundou na Premier League, sem justificar a confiança do treinador, o alemão se firmou entre os melhores de sua posição. Protagonizou o time na conquista da última Liga e continua com um excelente nível, para manter as esperanças dos catalães em todas as frentes possíveis.

Algo que também beneficia Ter Stegen é a adaptação à cidade de Barcelona. O arqueiro não esconde seu apreço pela vida na região: “A vida é maravilhosa em Barcelona. Eu amo a cidade. Minha esposa também está feliz. Temos tudo o que precisamos aqui. Obviamente, sinto falta da família de tempos em tempos, mas eles sempre têm a oportunidade de me visitar. Possuo mais três anos e meio de contrato. Não posso dizer como será no futuro. O que posso dizer é que estou curtindo a situação atual e gosto de estar em campo todas as vezes”.

Aos 26 anos, Ter Stegen disputou 175 partidas pelo Barcelona. Sofreu 160 gols e terminou 74 jogos sem ser vazado. Nesta semana, o alemão teve uma atuação excelente contra o Real Madrid na Copa do Rei, decisivo para conter a pressão dos merengues e possibilitar a vitória por 3 a 0 dentro do Santiago Bernabéu. Mais uma vez, neste sábado, deverá ser exigido no clássico válido pelo segundo turno de La Liga. A confiança dos blaugranas é imensa em seu paredão.