O que esperar do Fluminense nesta temporada? É uma pergunta difícil de se responder. A equipe carioca não se reforçou muito depois de um ano mediano, mas se saiu muito bem no seu primeiro teste de verdade. Neste domingo, venceu o Vasco com autoridade, por 3 a 0, em grande partida de Gustavo Scarpa, seu melhor jogador, e de Junior Sornoza, um desses poucos contratados, ex-Independiente Del Valle.

LEIA MAIS: No amistoso que celebrou a amizade, o melhor ficou por conta da narração de Rafael Henzel

A partida do Engenhão era a chance de o Vasco de Cristóvão Borges mostrar um pouco mais de resistência, depois da goleada sofrida para o Corinthians na Flórida Cup, mostrar que aquilo se tratou realmente de um amistoso sem importância. No entanto, com exceção do começo do segundo tempo, quando foi perigoso, a equipe cruz-maltina ficou bem aquém do Fluminense, que criou chances mais perigosas e em mais número.

Mas a primeira chance da partida foi do Vasco. Aos 16 minutos, Nenê cobrou escanteio, e Luan apareceu livre, na entrada da pequena área, para carimbar o travessão com o seu cabeceio. O Fluminense respondeu com tentativas de Scarpa e de Lucas, de média distância, mas o primeiro chute parou nas mãos de Martín Silva, e o segundo foi para fora. Pouco a pouco, o tricolor carioca foi tomando conta da partida. Quase abriu o placar em boa jogada de Wellington Silva pela esquerda. A bola chegou a Scarpa, que cruzou rasteiro, mas Henrique Dourado não conseguiu completar.

Então, Sornoza apareceu muito bem. Aos 26 minutos, lançou para Henrique Dourado, a partir do meio-campo, e o atacante soltou de calcanhar para Douglas, que dividiu com Martín Silva. O rebote caiu aos pés de Wellington Silva, que fez 1 a 0. Pouco depois, o mesmo Sornoza driblou dois vascaínos pelo lado direito da grande área, entrou sozinho e rolou para Henrique Dourado fazer 2 a 0.

O Vasco levou perigo quase por acaso em um cruzamento de Éder Luis, da ponta direita, que desviou na defesa do Fluminense e quase enganou Martín Silva. Levou perigo de propósito em um cruzamento da esquerda que Thalles ajeitou para Nenê bater da entrada da área, mas o craque vascaíno mandou muito por cima do gol de Cavalieri.

O Fluminense poderia ter ampliado, logo depois do intervalo, quando Wellington Silva saiu livre pela esquerda, mas, ao demorar a chutar, permitiu a chegada da marcação. Teve que resolver a jogada de outra maneira: puxou para a canhota e bateu por cima. O Vasco emendou dois lances de perigo, com Thalles, que bateu livre de frente para o gol, e em um contra-ataque no qual Madson ficou cara a cara com Cavalieri, que saiu para abafar. Mas não conseguiu diminuir o seu prejuízo.

Dois minutos depois, foi a vez de o Flu contra-atacar. Henrique Dourado avançou pela esquerda e achou Scarpa, no outro lado. O meia-atacante dominou, cortou para a perna esquerda e tentou bater reto, mas pegou mal e facilitou a defesa de Martín Silva. Logo em seguida, Scarpa caiu pela ponta direita e rolou para Lucas quase fazer o terceiro. Em novo contra-golpe, aos 35, Scarpa recebeu de Marcos Júnior, centralizou a jogada, esperou o companheiro passar e deu a assistência precisa para o terceiro gol, executado com um toque na saída de Martín Silva.

A goleada ficou próxima de se concretizar. Em escanteio, Henrique Dourado desviou na trave, o zagueiro Henrique encheu o pé na sobra e Martín Silva defendeu. Renato Chaves ainda ficou com o rebote, dentro da pequena área, mas bateu para fora. Ainda assim, foi uma atuação promissora do Fluminense, com bons sinais de um dos seus reforços – Sornoza – e um dos pilares da equipe que permaneceu no clube – Scarpa. Já o Vasco levou muitos gols em outro encontro com um grande do futebol brasileiro e ainda tem muito trabalho pela frente.