Sem muitas margens à dúvida, Son Heung-min é o melhor jogador do continente asiático no momento – e há algum tempo. Individualmente, se torna difícil de vislumbrar outro atleta da região com tamanha capacidade para decidir partidas. Sem o camisa 7, a Coreia do Sul sofreu em seus dois primeiros jogos na Copa da Ásia. Até venceu ambos, mas sem encantar. Son continuava com o Tottenham e, depois do duelo contra o Manchester United, se juntou ao elenco de sua seleção nos Emirados Árabes Unidos. Para fazer a diferença logo de cara. Os sul-coreanos tiveram uma tarde completamente diferente, comandados por seu capitão. Em jogo decisivo contra a China, que valia a liderança do Grupo C, venceram sem dificuldades. E com a onipresença de seu craque: Son participou em ambos os tentos na vitória por 2 a 0, que selou a primeira colocação.

Pressionando muito desde os primeiros minutos, a Coreia do Sul abriu o placar aos 14. Son sofreu um pênalti e Hwang Ui-jo cobrou no cantinho, para deixar sua equipe em vantagem. A China até poderia empatar, mas Jin Jingdao isolou de frente para o gol. O domínio permanecia com os sul-coreanos, que forçavam boas defesas de Yan Juling e chegaram a carimbar a trave com Hwang Ui-jo. Já aos seis minutos do segundo tempo, a Coreia matou o jogo. Son cobrou escanteio no capricho e Kim Min-jae cabeceou com força, na pequena área. No fim, com Son ainda providenciando as principais oportunidades, a diferença no placar poderia ser maior. Ao final, os sul-coreanos somaram nove pontos, contra seis dos chineses.

A surpresa no Grupo C fica por conta do Quirguistão. Os estreantes se garantiram nos mata-matas, ao derrotarem Filipinas por 3 a 1. E o grande nome do jogo foi a referência dos quirguizes, o atacante Vitalij Lux, que atua nas divisões de acesso do Campeonato Alemão. O camisa 19 balançou as redes três vezes, uma no primeiro tempo e duas no segundo, na primeira tripleta desta Copa da Ásia. Combinando oportunismo e qualidade nas finalizações, Lux primou no segundo gol, em que dominou e virou mandando a bola no ângulo. Os filipinos descontaram apenas no final, com Stephan Shröck, embora seu destaque tenha sido o goleiro Michael Falkesgaard. Somando três pontos, o Quirguistão já se coloca entre os melhores terceiros colocados, graças ao seu saldo de gols.

No Grupo D, um clássico quente entre Irã x Iraque

Outro jogo entre favoritos aconteceu na noite desta quarta-feira, pelo Grupo D. Irã e Iraque sustentam uma das maiores rivalidades do futebol asiático, que rendeu um jogaço nas quartas de final da Copa da Ásia de 2015. Desta vez, ambos já estavam classificados aos mata-matas, mas não foi isso que diminuiu a intensidade do confronto. Se as arquibancadas no torneio continental andam vazias e silenciosas, não foi o que aconteceu em Dubai. Casa cheia e barulhenta, com uma digna atmosfera para o clássico. Ao final, prevaleceu o empate por 0 a 0, em partida com muitos lances pegados, confusões e chances desperdiçadas.

Durante o primeiro tempo, os dois times buscaram o ataque, acelerando as suas ações. Favorito, o Irã tinha uma boa notícia: a estreia de Alireza Jahanbakhsh, ausente nas primeiras rodadas por se recuperar de uma lesão. E foram os persas que começaram ameaçando, em cabeçada perigosa de Sardar Azmoun. Faltava mais pontaria ao time. Da mesma forma, liderado por Ahmed Yaseen, o Iraque tentava chegar e não acertava os arremates contra a meta de Alireza Beiranvand. No início do segundo tempo, os iraquianos tentaram aumentar a pressão, mas Beiranvand fez uma ótima defesa para evitar o gol de Mohanad Ali Khadi. Já os iranianos, que reclamaram das decisões da arbitragem em diferentes oportunidades, reduziram o ritmo e criaram pouco, sem aproveitar os espaços que tiveram.

Tanto Irã quanto Iraque terminam o Grupo D com sete pontos, mas a liderança é dos persas, pela vantagem no saldo de gols. A terceira colocação ficou com o Vietnã, que tem boas chances de avançar aos mata-matas, depois que derrotou o Iêmen por 2 a 0. Os vietnamitas abriram o placar com um golaço. Aos 38 minutos, Nguyen Quang Hai cobrou uma falta no capricho e mandou a bola na gaveta do goleiro Salem Al Harsh. Precisando de gols para melhorar o seu saldo, os Dragões Dourados seguiram pressionando, apesar dos sustos nos contra-ataques iemenitas. Já o segundo tento saiu aos 19 do segundo tempo, em pênalti convertido por Que Ngoc Hai. Para avançar às oitavas, o Vietnã precisa secar ao menos um dos terceiros colocados dos outros grupos.