No início do mês, a Coreia do Sul enfrentou os piores incêndios florestais de sua história. Milhares de pessoas ficaram desabrigadas, dezenas se feriram e ao menos duas faleceram, em meio às chamas que atingiram um amplo território no nordeste do país e deixaram seu rastro de destruição em algumas cidades. Com o fogo controlado após a mobilização de 17,7 mil oficiais, os esforços neste momento se concentram na reconstrução da região, especialmente no apoio à população que sofre com as consequências do desastre. E, nesta corrente positiva, Son Heung-min outra vez demonstrou que é um ídolo nacional. O atacante do Tottenham desembolsou £100 mil em apoio às vítimas.

“Isso não é nada, comparado ao que as vítimas sacrificaram. Embora eu more no exterior, sei o que está acontecendo em meu país. Acho que isso é algo que eu deveria fazer, diante do enorme desastre na minha terra natal. Acredito que o dinheiro não importa. O mais importante é a mentalidade de fazer algo pelas vítimas”, declarou o jogador, durante o final de semana. Os números atuais apontam que 525 hectares de floresta foram destruídos, além de 400 casas, que acabaram consumidas pelas chamas.

Son nasceu em Chuncheon, cidade de 280 mil habitantes localizada na província de Gangwon – justamente a mais atingida pelo incêndio. Posteriormente, o atacante se mudou para Seoul, onde iniciou sua carreira no futebol. No entanto, a família do jogador continua vivendo no município e seu pai administra a Son Football Academy, voltada para desenvolver o talento de garotos da região. Outro sinal de como o apego do jogador às suas raízes permanece.