A maior vitória do Everton diante do Manchester United em 35 anos. O Everton conseguiu vitórias importantes nesta temporada contra times do chamado big 6, Arsenal, Chelsea e Manchester United, sem levar gols em nenhum deles. O que se viu neste domingo foi um atropelamento como é raro ver o Manchester United tomar de qualquer time. Diante do Everton, no Goodison Park, tomou 4 a 0 em um jogo que mereceu completamente o resultado. O desempenho em campo deixou o técnico Ole Gunnar Solskjaer bastante inconformado quando deu a entrevista coletiva após o fim do jogo, neste domingo. A sequência negativa pesa e o treinador precisará mostrar do que é capaz para reverter, seja em termos táticos, seja em termos técnicos, seja em gestão dos jogadores.

Nos últimos 10 jogos, o United perdeu seis e ganhou outros quatro. Se o recorte for de seis jogos, o time perdeu quatro, vencendo outros dois. Duas das derrotas foram na Champions League, diante do Barcelona (1 a 0 no Old Trafford e 3 a 0 no Camp Nou). Se contarmos apenas os jogos da Premier League, o time está em um momento de instabilidade. Venceu o Southampton, perdeu do Arsenal, venceu o Watford, perdeu do Wolverhampton, venceu o West Ham e foi goleado pelo Everton. É uma no cravo, outra na ferradura. E nesta última, uma goleada de passar vergonha. Uma goleada histórica.a

“Nós temos que pedir desculpas aos torcedores porque eles foram absolutamente fantásticos”, afirmou Solskjaer. “O desempenho não é bom o bastante para um time do Manchester United, para mim ou para os jogadores. Nós decepcionamos os torcedores. Nós decepcionamos o clube. O desempenho é difícil de descrever porque foi muito ruim. Eles nos venceram no básico: arremessos laterais longos, coloque sua cabeça, nosso escanteio, eles contra-atacam e marcar, escanteio deles, eles marcam. Nós fomos batidos em todos os ingredientes que você precisa, adicionado ao talento. Não há lugar para se esconder em campo. Foram 85 minutos antes de conseguirmos um chute no gol, o que não é bom o bastante”, disse, de forma dura, o técnico do United.

Os repórteres questionaram Solskjaer pelo time ter corrido muito menos que os rivais – segundo dados, o United correu 8,03 km a menos que o Everton, somando todos os jogadores. Para o treinador, o time não estava em forma o suficiente para encarar o jogo. O norueguês foi perguntado, então, se os jogadores se importavam o suficiente. Ele demorou alguns segundos para responder. “Eu não sei”, respondeu.

“Você tem que perguntar a eles. Eu perguntei a eles. É claro que se você quer jogar por este clube, você tem que fazer mais. Eu quero que o meu time seja o que trabalha mais duro na liga. Isso era o que éramos com Sir Alex. Giggs, Becks, Gary Neville, Denis [Irwin]. Não importa quanto talento você tem, você corre mais que os outros. Você não pode mudar um elenco inteiro. Um passo de cada vez. Eu terei sucesso aqui e há jogadores que não serão parte disso”, disse o treinador, em mais uma frase forte.

A insatisfação de Solskjaer seguiu na entrevista. “Nós estávamos dois pontos à frente do Everton quando eu cheguei. Eu não tinha qualquer ilusão que poderíamos ganhar a liga ou brigar pelos dois primeiros lugares. O tanto de pontos que nós ganhamos é graças aos jogadores. Talvez isso tenha os afetado. Os jogadores sabem que precisa significar tudo jogar por esse clube, como significa para os torcedores. Não é uma surpresa quando ouvimos as estatísticas que o Everton correu mais do que nós. E não se trata apenas de correr, se trata de decisões, colocar a sua cabeça onde dói. Dói vencer jogos de futebol. Nós estivemos muito longe do Everton. Eles merecem todo o crédito”, afirmou Solskjaer.

Comentarista da Sky Sports e ex-jogador do Manchester United, companheiro de Solskjaer, Gary Neville estava furioso depois do jogo e foi duro nas críticas ao time. “O fato dele [Solskjaer] ter que pedir desculpas aos torcedores é embaraçoso. Eu com frequência digo que se os clubes têm ervas daninhas no jardim, você tem que se livrar delas. Mas há ervas daninhas japonesas [uma espécie conhecida por ser dos piores tipos de ervas daninhas] apodrecendo aquele clube de futebol, e está atacando suas fundações da casa, então é preciso lidar delas apropriadamente. Aquele desempenho foi detestável. Eu não preciso dar nomes, vocês sabem quem eles são. Eles estão nos jornais todos os dias, estão nas redes sociais hoje”, disse o ex-jogador.

Solskjaer precisa lidar com a sua primeira crise. Na semana que foi eliminado da Champions League, chega ao momento de maior baixa com uma goleada sofrida diante do Everton. Os resultados pararam de vir, assim como o desempenho despencou. O norueguês terá que mostrar que é mais do que alguém que corrigiu os erros de Mourinho. Será preciso mostrar repertório, não só tático, mas também de gestão de pessoas. Porque as críticas aos jogadores são pesadas. O Manchester United tem um jogo duríssimo nesta quarta-feira, diante do Manchester City, em um jogo que é crucial na disputa do título.

Para ter sucesso, Solskjaer precisará ir além de lembrar episódios dos momentos que era dirigido pela lenda Alex Ferguson, ou de tomar um caminho diferente do que Mourinho fazia. É preciso mostrar capacidade de gerir jogadores que são difíceis, como o próprio técnico português parecia já detectar. Será preciso reformular ao final da temporada e a fala do norueguês deixa isso claro, mas antes disso, é preciso guiar o clube à melhor posição possível, dentro do G4, para voltar à Champions League. E esse é um desafio grande. A situação no momento é complicada e o futebol apresentado decaiu. Antes de começar um projeto com seu nome, Solskjaer precisa terminar a temporada melhor, se não as coisas poderão se complicar ainda mais e começar já com pressão.