O Manchester United entra em uma semana duríssima. Terá pela frente nesta quarta-feira, em Old Trafford, o renovado Tottenham, de José Mourinho, antigo treinador do clube. E em um momento que o atual treinador, Ole Gunnar Solskjaer, está sob intensa pressão da crítica pelo péssimo desempenho do time em campo. Os resultados também são muito ruins e o time parece ter poucas perspectivas. Pior ainda que no fim de semana o adversário seja o outro time de Manchester. Apesar de tudo isso, o norueguês não teme a sua demissão.

“Estou bem, absolutamente sem problema”, afirmou o treinador. “Às vezes você ri quando você lê as matérias sobre o que eu disse e tudo mais. Ao menos eu sei que as fontes que todo mundo está falando não são fontes, são apenas inventadas, flagrantes mentiras”, continuou. “Isso não me preocupa. Eu estou apenas focando no meu trabalho e isso é fazer tão bem quanto eu posso, ansioso pelo próximo jogo, planejando as coisas com a diretoria”.

“É aquela época do ano, nunca é bom ver seus colegas perderem seus trabalhos. Foram três em um período muito curto de tempo. Mas isso não me faz ficar mais preocupado por ser dezembro, não”, disse Solskjaer. José Mourinho, seu antecessor, foi demitido no dia 18 de dezembro de 2018. Três técnicos da Premier League foram demitidos recentemente, com Mauricio Pochettino, no Tottenham, Unai Emery, no Arsenal, e Quique Sánchez Flores, no Watford (que demitiu seu segundo treinador na temporada, depois de também demitir Javi Gracia em setembro).

Solskjaer foi efetivado como técnico do Manchester United em março, depois de um início avassalador no comando do time. Desde então, foram 22 jogos de Premier League e apenas 26 pontos ganhos no período. Mauricio Pochettino, que vivia uma crise no Tottenham, conquistou 25 pontos nos seus últimos 22 jogos. Unai Emery foi demitido do Arsenal depois de conquistar 28 pontos nos seus últimos 22 jogos.

“Futebol é um negócio de resultados. Nós não estamos felizes, nós sabemos que podemos fazer melhor e estamos trabalhando duro”, afirmou Solskjaer. “O trabalho é sempre voltado a uma melhoria, mas não estamos obtendo os resultados que merecemos”.

A situação do United está muito abaixo do esperado. Em 14 jogos da Premier League, são apenas quatro vitórias. O empate com o Aston Villa por 2 a 2 deixou o clube a três jogos sem vencer, somando todas as competições. A pressão aumenta para o técnico do United, ainda mais com Mauricio Pochettino disponível no mercado.

Um dos alvos da ira da torcida do United é o vice-presidente Ed Woodward, responsável pelo futebol do clube. “Nós nos falamos o tempo todo, por isso não é algo que de repente precisamos conversar. Nós nos falamos algumas vezes na semana, então estamos continuamente progredindo, os planos que colocamos em prática, a reconstrução que nós sabemos que começamos. Nós tomamos algumas decisões que foram necessárias e agora é claro que nós não estamos felizes onde nós estamos, mas nós continuamos trabalhando”, declarou ainda o treinador.

A semana do Manchester United será complicada. Nesta quarta-feira, recebe o Tottenham, que agora tem José Mourinho no banco de reservas – e será curioso ver como a torcida irá reagir. No fim de semana, terá pela frente um dos melhores times do país em um clássico da cidade: o Manchester City, no sábado, no Estádio Etihad.

A volta de Mourinho, para Solskjaer, não irá mudar nada para os jogadores do seu time. “Eu não acho que quem quer que seja o técnico do adversário vá mudar a motivação deles”, afirmou Solskjaer. “A motivação deles é jogar bem pelo Manchester United porque eles sabem que se trata de provar a cada vez que você pisa no campo que você deve fazer parte do time a longo prazo”.

“Quando você coloca esta camisa, não importa contra quem você irá jogar, você tem que dar tudo. Os rapazes estavam decepcionados no domingo, mas agora todos os olhos estão na noite de amanhã”, disse ainda o treinador norueguês.

O United está em nono lugar na Premier League com 18 pontos em 14 jogos. Está a oito pontos do Chelsea, atual quarto colocado. O objetivo tem que ser chegar entre os quatro primeiros colocados para se classificar à próxima Champions League, ainda que a situação esteja difícil – e entre o United e o Chelsea inda tem times como o Arsenal e os surpreendentes Sheffield United e Wolverhampton, além do Tottenham, que é o quinto.

Diante de dois adversários difíceis nesta semana, o Manchester United precisará mostrar algo mais. Não adiantará jogar o futebol mais ou menos que tem jogado. O Tottenham de Mourinho e o Manchester City de Guardiola irão exigir um futebol melhor do time dirigido por Solskjaer.