Se nas posições de linha o Manchester United ainda busca aprimorar seu elenco, visando contratações sobretudo para o meio de campo e o ataque, no gol a questão está resolvida pelo menos por alguns anos. Isso porque, além do excelente David De Gea, o clube tem em Dean Henderson um grande nome para o futuro. Ole Gunnar Solskjaer, técnico dos Red Devils, inclusive vê o jovem inglês como o camisa 1 do United e da seleção inglesa “em algum momento”.

Em declarações publicadas pela Sky Sports, Solskjaer elogiou a trajetória de Dean Henderson neste seu princípio de carreira. Há duas temporadas emprestado ao Sheffield United, o goleiro, de apenas 23 anos, virou destaque de uma equipe que, em 2018/19, garantiu o acesso à Premier League e que agora faz campanha surpreendente na elite, ocupando atualmente a 7ª colocação.

“O Dean tomou ótimas decisões ao longo dos anos e se desenvolveu fantasticamente. Estamos observando isso para decidir onde ele estará na próxima temporada, mas, por ora, isso ainda não foi decidido”, afirmou Solskjaer.

O norueguês tem observado com satisfação o desempenho de Henderson na Premier League. O goleiro é o segundo com mais jogos sem sofrer gols: são dez partidas de 27 possíveis.

“Esta temporada provou ser uma ótima experiência para ele, ele fez um grande favor a si mesmo com suas atuações e provou que será o camisa 1 da Inglaterra e do Manchester United em algum momento”, projetou Solskjaer.

Evidentemente, com alguém tão bom como Henderson evoluindo e pedindo espaço, é natural se perguntar o que aconteceria então com David De Gea. O goleiro titular dos Red Devils renovou seu contrato há menos de um ano, ganhando aproximadamente £ 350 mil por semana, o que o tornou o goleiro de maior salário no futebol mundial. Seria, sem dúvidas, uma questão de egos a se administrar, mas Solskjaer não parece muito preocupado com isso.

“Não é meu trabalho manter os jogadores felizes ou dentro ou fora do time. Parte disso é responsabilidade deles, de seguir desempenhando e indo bem”, explicou o técnico.

Com De Gea, de 28 anos, ou Henderson, de 23, o United está muito bem servido de goleiros. E certamente qualquer um deles encontraria facilmente equipes interessadas em colocá-los em seu time titular. A posição do clube, portanto, deverá depender da vontade de Henderson.

Se o jovem não vê problema em ser emprestado por ao menos mais uma temporada, ao Sheffield ou a outro time, faz sentido que o Manchester United mantenha as coisas como estão: com De Gea em Old Trafford e Henderson se desenvolvendo em outro lugar.