O gesto forte e bem-sucedido de Rashford ao se posicionar contra o fim do voucher de alimentação para crianças carentes durante as férias de verão na Inglaterra, fazendo com que o governo britânico recuasse e mantivesse o auxílio, segue reverberando. “Chefe” do atacante do Manchester United, o técnico Ole Gunnar Solskjaer exaltou o feito de seu jogador e afirmou que, aos 22 anos, não poderia ter afetado uma mudança da maneira como seu camisa 10 fez.

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (18), prévia ao confronto contra o Tottenham pela Premier League, marcado para a sexta-feira (19), Solskjaer não economizou nas palavras para comentar a ação de Rashford. Com um orgulho quase que de pai, o norueguês ressaltou as categorias de base do United, onde o atacante passou dez anos antes de ter sua primeira chance como profissional.

“O que o Marcus fez foi incrível, com sua família, com sua própria personalidade, é claro. O Marcus sempre foi um grande ser humano. Subindo na base (do United), acho que o clube reconheceu isso cedo e lhe deu chances. Claro, vimos o talento, mas você precisa ser um ser humano muito bom também para passar por todas essas etapas”, salientou.

Fazendo referência também à campanha que Rashford organizou com a instituição FareShare a partir de março, arrecadando £ 20 milhões e distribuindo três milhões de refeições semanais, Solskjaer exaltou a maneira como o atacante foi até suas origens para entender as necessidades das famílias no conturbado momento atual.

“O que ele fez nos últimos meses… O Marcus é um grande ser humano e ele trouxe suas próprias experiências como criança para esta conversando, mudando a vida de muitas crianças. Ele já foi o capitão do clube mesmo tão novo e está o tempo todo provando suas qualidades humanos, o que é o principal atributo para um jogador do Manchester United, além de suas qualidades como atleta.”

Tão impressionante quanto o poder do gesto de Rashford, diretamente afetando a vida de ao menos 1,3 milhão de crianças, é o fato de que ele o tenha feito ainda tão jovem, demonstrando maturidade incomum para a sua idade. Solskjaer reconhece que ele próprio, quando era mais novo, não poderia ter feito algo igual: “Com 22 anos, eu com certeza não estaria em uma posição para afetar as pessoas e afetar uma mudança assim”.

Como os tempos atuais são marcados por grande polarização, houve, é claro, quem tentasse encontrar defeitos na ação de Rashford. Mais especificamente, o gesto incomodou alguns poucos conservadores, o que não desenha a melhor imagem para o partido no Reino Unido. Solskjaer, de qualquer forma, tratou de rechaçar qualquer conotação política no gesto de seu atacante.

“Não acho que o Marcus esteja pensando nisso politicamente ou de qualquer outra maneira se não ajudar as pessoas e as crianças. No fundo, ele sabe que ajudou as crianças e ajudou a mudar suas vidas, e acho que isso faz ele se sentir bem, usando sua posição como modelo a ser seguido no Manchester United. Ele é um dos principais jogadores do país, joga no Manchester United e pode afetar as pessoas de uma maneira boa, é disso que se trata. É um bom ser humano que quer fazer uma boa diferença. Não se trata dele ou de qualquer coisa maior que isso.”