O Caracas serviu para que o Grêmio demonstrasse suas virtudes na busca pelo título da Copa Libertadores durante a última semana. E também suas carências nesta terça-feira. O Tricolor teve atuação abaixo das expectativas, criando pouco no ataque e se expondo demais na defesa, e acabou pagando caro pelos erros. A noite pouco inspirada possibilitou a virada e a vitórias dos venezuelanos por 2 a 1.

O jogo ficou marcado pelo péssimo estado do gramado do Estádio Olímpico de la UCV, que prejudicava ambas as equipes. Durante os primeiros minutos, o Caracas até demonstrou iniciativa, mas fez pouco para tirar a tranquilidade do Grêmio. Os gaúchos sabiam controlar a situação e não demoraram a abrir o placar. Aos 16, André Santos aproveitou bobeada da zaga e cruzou para Elano, livre, desviar de cabeça.

A partida continuava nas mãos do Tricolor. A equipe visitante não criava grandes oportunidades de gol, embora tivesse controle do ritmo. Barcos era quem mais se destacava na equipe, brigando bastante por espaços no ataque. A calmaria gremista, contudo, resultou em relaxamento e o Caracas chegou ao empate nos acréscimos. Em sobra de bola após cobrança de falta, Peña chutou no canto para vencer Dida.

Sem ser muito incisivo no ataque, o Grêmio mudou de estratégia no segundo tempo. A equipe passou a se fechar mais na defesa e tentar explorar os contra-ataques. Todavia, o Caracas aproveitou bem os espaços dados para alcançar a virada. Em incursão pela esquerda, Curé passou para Farías, que contou com a passividade da dupla de zaga brasileira para marcar.

Diante do prejuízo, Vanderlei Luxemburgo tentou dar mais presença física ao seu ataque, com as entradas de Wellinton e William José nos lugares de Eduardo Vargas e Fernando. Entretanto, o desespero gremista acabou sendo preponderante. Errando demais na criação das jogadas, o Tricolor não ameaçou a meta adversária e ainda tomou sufoco nos contra-ataques. Restou se conformar com a derrota.

O resultado equilibra ainda mais as forças no Grupo 8 da Libertadores, concluídas quatro rodadas. O líder Fluminense soma sete pontos, um a mais que o Grêmio e o Caracas. Na última posição, mas não tão distante dos rivais, o Huachipato tem quatro pontos. Na próxima rodada, gaúchos e cariocas medem forças em Porto Alegre.