Antes de se transformarem em protagonistas da seleção de Gales, Aaron Ramsey e Gareth Bale foram garotos prodígios. E desde o momento em que a dupla deslanchou no nível principal, os galeses dependeram do talento de ambos. Desde a estreia de Bale em 2006, o país não havia vencido um jogo sequer sem a presença de um ou outro. Considerando também o jejum prévio à primeira partida do atacante, se passaram 13 anos até que a marca fosse finalmente quebrada. Nesta terça, sem Bale ou Ramsey, os galeses derrotaram a Irlanda por 1 a 0 em Dublin, pela Liga das Nações. Contaram com a qualidade de outro jovem, Harry Wilson, determinando o triunfo com um golaço de falta.

Wilson, de 21 anos, é cria do Liverpool. Disputou apenas um jogo pelos Reds, válido pela Copa da Inglaterra, mas vem rodando emprestado pelas divisões de acesso e se destaca com o Derby County na Championship. Ganha espaço com Ryan Giggs na seleção principal e desta vez resolveu o jogo com uma cobrança de falta perfeita, no canto do goleiro, sem qualquer chance de defesa. Lembrou sua batida contra o Manchester United, na surpreendente classificação do Derby County na Copa da Liga Inglesa há poucas semanas.

Gales lidera o Grupo 4 da segunda divisão da Liga das Nações. Soma seis pontos e terá a Dinamarca como concorrente pelo acesso. Nesta rodada, aliás, as duas primeiras equipes confirmaram o seu acesso no torneio. A Ucrânia subirá da segunda para a primeira divisão, enquanto a Geórgia comemorou sua promoção no quarto nível. Polônia e Islândia, ambas rumo à segundona, são as únicas rebaixadas ao final da Data Fifa.