André Villas-Boas tem uma trajetória peculiar no futebol. Sem nenhum passado como jogador, viu uma porta de entrada com Bobby Robson, que morava em seu prédio e treinava o Porto, juntou-se à comissão técnica de José Mourinho e alçou voos solos de destaque, antes de ver sua carreira degringolar com a demissão do Tottenham. No começo desta temporada, retornou aos grandes centros para treinar o Olympique Marseille e tem conseguido fazer um bom trabalho. Nesta terça-feira, derrotou o Angers, fora de casa, por 2 a 0, e chegou a cinco vitórias seguidas pelo Campeonato Francês – melhor sequência do clube desde 2014, quando ganhou oito jogos consecutivos.

O português, ainda com apenas 42 anos, brilhou muito no comando do Porto e seguiu os passos de Mourinho ao acertar com o Chelsea. Não durou uma temporada inteira em Stamford Bridge e pouco mais do que isso no Tottenham. Seu próximo trabalho foi no Zenit, com o qual conseguiu voltar a vencer títulos, e em seguida foi fazer o pé de meia no Shanghai SIPG, da China.

Em novembro de 2017, recusou proposta de renovação do Shanghai SIP, com o qual foi finalista da Copa da China e segundo colocado da Superliga, para se dedicar a outra paixão: dirigir no Rally Dakar. Talvez o fato de a aventura ter terminado com um acidente na quarta etapa da corrida o tenha convencido que o seu negócio não são as rodas, mas as pranchetas.

Depois de uma prolongada pausa, Villas-Boas aceitou treinar o Olympique Marseille, no começo desta temporada, no lugar de Rudi Garcia, que manteve o clube entre os cinco primeiros lugares em suas três temporadas no cargo. Com um bom ponto de partida, o português tem conseguido ir além, destacando-se como o segundo melhor time desta primeira parte do Campeonato Francês e sonhando com uma perseguição ao Paris Saint-Germain.

O Olympique Marseille ficou invicto entre a segunda e a oitava rodada, mas com um alto número de empates, e emendou derrotas para Amiens e o próprio PSG nas três partidas seguintes. E, então, arrancou. Ganhou do Lille, vice-campeão da última temporada, do Lyon, do Toulouse e do Brest antes de encarar o Angers, que começou a 16ª rodada na terceira posição – acabou superado por Bordeaux e Lille.

O time mantém nomes conhecidos, como Dimitri Payet, que cobrou uma falta rasteira com muita inteligência para Morgan Sanson bater cruzado e abrir o placar, logo aos 17 minutos do primeiro tempo. Antes do intervalo, Hiroki Sakai invadiu a área e foi derrubado por Romain Thomas. Pênalti. Payet cobrou bem e garantiu a nona vitória em 16 rodadas. O francês chegou a cinco gols e duas assistências na Ligue 1. O artilheiro do time é Darío Benedetto, velho conhecido do torcedor do Boca Juniors, com seis.

O Marseille está isolado em segundo lugar, com cinco pontos de vantagem para o terceiro. A questão agora é se terá fôlego para acompanhar o Paris Saint-Germain. Aparece na noite desta terça-feira apenas dois pontos atrás, mas o time de Neymar, Mbappé e companhia tem dois jogos a menos. Um deles, nesta quarta, contra o Nantes, em casa.

.

.

Classificações Sofascore Resultados

.