Sob o comando de Rebrov, Ferencváros vai à fase de grupos da Champions depois de 24 anos

Húngaros conseguem a classificação pelos gols fora; Dynamo de Kiev e Olympiacos também avançam

O Ferencváros conquistou a classificação para a fase de grupos da Champions League nesta terça-feira, depois de derrubar o Molde na última fase eliminatória. Depois de um empate por 3 a 3 na Noruega, os húngaros ficaram no 0 a 0 em casa e conquistaram a vaga. Será a primeira vez desde a temporada 1995/96 que o clube consegue chegar à fase de grupos da Champions League. Nas últimas cinco participações, a equipe tinha parado nas preliminares.

[foo_related_posts]

Campeão húngaro, o Ferencváros superou o Djugardens, da Suécia, na primeira eliminatória; derrubou o Celtic na segunda eliminatória; venceu o Dinamo Zagreb na terceira; e, por fim, passou pelo Molde. Esportivamente, é uma conquista gigantesca para o clube. Jogar a fase de grupos é um orgulho. Além disso, financeiramente será um imenso reforço de caixa: € 15,25 milhões só por participar, além de € 2,7 milhões por vitória e € 900 mil por empate.

O Molde, por sua vez, lamentou ter perdido a chance de chegar à fase de grupos da Champions League pela primeira vez na sua história. “Estou devastado. Foi a chance das nossas vidas de jogar a Champions League. Nós jogamos uma partida ok, mas tivemos respeito demais por tempo demais. Nós criamos a maior parte das chances e sinto que fomos o melhor time depois das duas partidas”, declarou Eirik Hestad, atacante do Molde.

“Acho que jogamos uma boa partida e estou orgulhoso dos meus rapazes. Nós estávamos tão perto, mas não foi o bastante. É de cortar o coração”, afirmou Magnus Wolff Eikren, capitão do Molde. “Nós fizemos muitas coisas certas neste jogo. Eu acho que os rapazes deram tudo de si e nós criamos chances o bastante para vencer, mas não conseguimos aproveitar. É realmente muito duro de aceitar”.

Do outro lado, a comemoração foi enorme. “Neste nível, algo sempre acontece. Eu esperava que meus jogadores cansassem e o Molde nos pressionasse no final. Nós mostramos uma boa concentração na defesa”, analisou o treinador Serhiy Rebrov. “Eu apenas ajudo os jogadores, é o time que merece os aplausos. Quando nós começarmos a jogar na fase de grupos, nós veremos se estamos prontos para este nível ou não, mas se alguém não nos respeitar, nós seremos fortes e somos capazes de causar uma surpresa”.

“Eu tinha a cabeça nas minhas mãos no fim, porque eu sabia o quanto trabalho os jogadores se esforçaram para esse sucesso. Eu estou muito orgulhoso. Foi uma partida muito dura. Não importa quem nós enfrentaremos na fase de grupos, nós fizemos a Hungria orgulhosa”, continuou Rebrov.

Rebrov, ex-atacante ucraniano, foi uma das estrelas do Dynamo Kiev naquela temporada 1998/99, quando o clube fez campanha histórica e chegou até a semifinal da Champions League, e que tinha Andriy Shevchenko. O Dynamo Kiev também conseguiu a sua v aga na fase de grupos, e de forma muito mais tranquila. Depois de vencer o Gent por 2 a 1 na Bélgica, os ucranianos venceram por 3 a 0 em casa para garantir a classificação.

Outro que se classificou foi o Olympiacos, de Rafinha. Aliás, o time tem alguns nomes conhecidos, como o meio-campista francês Yann M’Vila, o lateral José Holebas e o meia francês Matthieu Valbuena. Depois de uma vitória por 2 a 0 em casa no jogo de ida contra o Omonia, do Chipre, ficou no 0 a 0 na volta.

Nesta quarta-feira, outros três jogos definem os últimos três classificados para a fase de grupos. Na rota dos campeões, o Midtjylland recebe o Slavia Praga na Dinamarca, depois de arrancar um empate por 0 a 0 fora de casa. O Red Bull Salzburg só precisa de um empate em casa contra o Maccabi Tel Aviv, de Israel, depois de vencer por 2 a 1 fora de casa. Por fim, na rota da liga, o Krasnodar leva uma vantagem por ter vencido a ida contra o PAOK por 2 a 1, em casa, e precisa de um empate na Grécia.

O sorteio da fase de grupos da Champions League será na quinta-feira, dia 1º e terá transmissão na TNT, no EI Plus e no site da Uefa.