A temporada europeia vai chegando ao seu fim com muitas das ligas nacionais praticamente definidas. Dá até para encontrar algumas disputas mais acirradas, como na França. Mas nenhuma que se compare ao que acontece atravessando o Mediterrâneo, no norte da África. Se você quiser emoção, comece a acompanhar o Campeonato Argelino, que conta com uma das tabelas mais equilibradas da história do futebol. Do líder ao lanterna, só há 13 pontos de diferença, e todos os times ainda têm chances matemáticas de título, restando somente seis rodadas para o final.

VEJA TAMBÉM: Por pouco, Anelka não foi parar no atual lanterna do Campeonato Argelino

Não dá nem para dizer que o Argelinão é nivelado por baixo. Vice-líder, o Sétif também é o atual vencedor da Liga dos Campeões da África. Uma das razões que ajudam a explicar o enorme equilíbrio é a taxa de empates razoavelmente alta: 28% das partidas terminam com o placar igualado. Só isso, porém, não é o suficiente para entender a tabela. Dos 16 participantes, 12 possuem entre oito e dez vitórias. No geral, esse número varia apenas entre seis e 11 triunfos. Tanto que o líder, Béjaïa, só venceu dois compromissos a mais que o El Eulma, penúltimo colocado.

algerieAssim, até o lanterna Hussein Dey ainda pode ficar com a taça, embora a probabilidade seja mínima. O 16º colocado tem 26 pontos e, com sete jogos a fazer, poderia chegar a 47. Em um cenário hipotético (apenas para provar que ainda existem chances matemáticas sem cálculos mais complexos), se todas as outras partidas terminassem empatadas, o atual líder não passaria dos 45 pontos. Obviamente, é praticamente impossível que isso aconteça. Mas as equipes em posições intermediárias na tabela, como o tradicional Kabylie, seguem vivíssimas na competição. Em nono, o maior campeão argelino está só sete pontos atrás do primeiro.

HISTÓRIA: O dia em que os dois times queriam o gol contra

Segundo o site da RSSSF, o torneio de primeira divisão mais equilibrado da história (com vitória valendo três pontos, empate dois e derrota um) é o Campeonato Marroquino de 1965/66. Do campeão Wydad Casablanca ao lanterna Maghreb Tétouan, havia apenas oito pontos de diferença. Três vitórias eram suficientes para chegar ao topo. Em uma tabela repleta de placares zerados, apenas cinco dos 14 times tiveram média superior a um gol por jogo. Por outro lado, nove sofreram menos de um tento por partida. O melhor ataque rendeu apena a sétima colocação, enquanto a segunda melhor defesa acabou duas posições acima da zona de rebaixamento.

maroc
Difícil repetir aquele Marroquinão. Não é isso, porém, que tira a emoção da reta final do Campeonato Argelino. A próxima rodada começa na quinta-feira da semana que vem. Sob as expectativas de que absolutamente tudo ainda pode acontecer.

PS: A foto principal não tem necessariamente nada a ver com o texto, além do fato de ter acontecido na Argélia. Mas é sempre oportuno relembrar o mosaico de fogo que os argelinos fizeram antes do jogo contra Burkina Faso, que confirmou a vaga na Copa de 2014.