A venda de Luis Suárez ao Barcelona abriu uma ótima oportunidade para que o Liverpool reforçasse seu elenco, e o time foi atrás disso. Trouxe uma porção de jogadores, de posições distintas, gastando uma fortuna ainda maior do que a recebida pela saída do uruguaio, e aumentou seu leque de opções. Quase uma temporada depois e praticamente fora da próxima Champions League, Brendan Rodgers percebeu que faltou um detalhe em suas negociações: jogadores de peso. A constatação está um pouco atrasada, mas o técnico aparentemente terá tempo para corrigir o equívoco.

VEJA TAMBÉM: James até fez bater a saudade da Copa com este golaço na vitória do Real

Após a derrota por 1 a 0 diante do Hull, que dificultou ainda mais as chances de classificação à próxima Liga dos Campeões – a quatro rodadas do fim, os Reds têm sete pontos a menos que o quarto colocado, o Manchester United –, Rodgers falou à imprensa sobre suas pretensões para 2015/16. O treinador revelou que o clube buscará negócios viáveis para trazer jogadores de peso e ressaltou a importância de se ter atletas desse patamar se quiser voltar a brigar por títulos.

“Para torcedores e jogadores, é sempre ótimo conseguir contratações de peso que podem realmente te ajudar. Um ou dois de que talvez precisemos. O clube está trabalhando duro, e os donos apoiarão isso. Se (os jogadores) estiverem disponíveis e com preços acessíveis, o clube fará de tudo para consegui-los. Esse é o meu desafio para a próxima temporada: montar um time que possa passar por águas agitadas”, revelou.

“Há muitos jogadores fantásticos, mas às vezes, quando a temporada fica difícil, você tem que passar por isso. Se você vai competir no topo da tabela como fizemos no ano passado, então você precisa disso. Precisamos refocar e buscar melhorar o elenco”, completou.

Pela transferência de Suárez, o Liverpool recebeu € 81 milhões. No seu caderno de gastos, o valor foi de € 150 milhões na janela de transferências do início da temporada. Chegaram Can, Lambert, Lallana, Markovic, Lovren, Origi (emprestado ao Lille), Moreno e Balotelli. Em teoria, o italiano seria o nome de peso a substituir Suárez, mas falhou miseravelmente e terá um trabalho enorme daqui para a frente para reverter a fama de contratação fracassada que já o acompanha desde os meses finais do ano passado.

À época das contratações, Rodgers foi muito criticado justamente por ter despendido tanto dinheiro sem trazer algum atleta renomado. Entretanto, é preciso ver o lado positivo dos negócios: foram, em sua maioria, envolvendo jogadores de grande potencial e que eram observados também por outros clubes grandes. A questão é que, sem o atleta já estabelecido, que chegasse com impacto imediato e dando à torcida esperança de títulos, esses jovens ficam muito expostos, e a cobrança para que rendam logo acaba sendo maior do que deveria. Falando de maneira puramente hipotética, a contratação de um Tevez, por exemplo, levaria a cobrança para alguém que pode corresponder e que já tem as costas largas para aguentar as críticas.

Ficar sem a vaga na próxima Champions League, o que já é quase uma certeza, é um golpe duro para Rodgers absorver. Seu respaldo para continuar existe apenas pela grande temporada que o time fez em 2013/14, quando perdeu o título por detalhes derradeiros – mas ainda passíveis de críticas. Se o técnico realmente for em frente e trouxer jogadores renomados na próxima janela, a classificação para a Liga dos Campeões de 2016/17 será item obrigatório para que sua carreira em Anfield não seja encerrada antes do que ele desejaria.