A justiça suíça ordenou nesta quarta-feira que o Sion seja reintegrado à Liga Europa. O clube havia sido eliminado da competição continental por conta da utilização irregular de jogadores na partida contra o Celtic, pela fase de qualificação do torneio. O Sion foi impedido pela Fifa de registrar novos reforços desde que induziu o goleiro Essam El-Hadary a rescindir seu contrato com o Al-Ahly, em 2008.

Segundo o  veredito do Tribunal de Lausanne, a Uefa “trabalhou contra as próprias legislações e, portanto, sem justificativa.  As sanções se assemelham com represálias de desqualificação e são manifestadamente abusivas”.

A ordem da justiça é a de que a entidade reintegre a equipe ao Grupo I da Liga Europa. A Uefa ainda terá que pagar mil francos a cada dia que deixar de executar a decisão, além de cerca de 50 mil francos por prejuízos e gastos com advogados.

A ação do Sion, no entanto, desrespeita o regulamento da Fifa, que não permite que os clubes busquem a justiça civil para a resolução de casos do tipo. Na quarta-feira, a Fifa declarou apoio à Uefa.

Após duas rodadas da Liga Europa, o Celtic, substituto dos suíços, está na quarta posição do Grupo I. Os escoceses perderam na estreia para o Atlético de Madrid e empataram com a Udinese no jogo seguinte.