O ano é de treinamentos, testes e preparação para a seleção brasileira feminina. Enquanto não chega 2018, que é quando acontecerá o Campeonato Sul-Americano da modalidade, competição que classifica à Copa do Mundo, Emily Lima avalia as jogadoras da casa em jogos amistosos como o deste domingo, contra a Bolívia. Embora a seleção boliviana seja uma das sete equipes filiadas à Conmebol que estavam sem jogar há mais de um ano e meio e a partida tenha sido bastante desequilibrada, deu para a técnica observar individualmente suas atletas que aplicaram uma goleada de 6 a 0 na Arena Amazônia. Deu também para atestar que Manaus é uma das capitais que melhor recebem jogos de futebol feminino, uma vez que o público e, consequentemente, a renda da partida foram um tanto satisfatórios.

VEJA TAMBÉM: Marta é anunciada como reforço do Pride e reafirma a ambição do futebol em Orlando

Pelo tempo que as bolivianas estavam sem entrar em campo, já era de se esperar que fosse uma partida de apenas um time. Só deu Brasil do início ao fim, com as brasileiras com bem mais posse de bola que as adversárias, jogando com amplitute, sendo as únicas a criar chances de gol e pressionando a todo instante. Isto é, ainda que o placar tenha sido elástico, ele poderia ter sido ainda maior se não fosse a goleira da Bolívia fazendo boas defesas no primeiro tempo e a pontaria falha das brasileiras em alguns momentos, principalmente depois de ter saído o primeiro gol, aos cinco minutos de bola rolando. E ele saiu graças a uma cobrança de falta perfeita de Fran, que acertou o ângulo e, enfim, balançou a rede depois do Brasil já ter chutado no gol três vezes.

O segundo aconteceu com quase 25 minutos completos no relógio, com Cristiane. Fran, aparecendo muito bem novamente, tabelou com Marta, que levantou a bola na área para a camisa 9 fazer o que ela faz muitíssimo bem: pular e cabecear para o fundo do gol. E por falar em Marta, foi dela o terceiro tento, o último antes da pausa para o intervalo. A número 10 limpou uma jogada pelo lado direito e bateu cruzado totalmente livre. Sem chances para a arqueira boliviana, que fez o que pôde no primeiro tempo, mas não conseguiu evitar a goleada na noite de domingo.

Na segunda etapa, saíram os três gols restantes. E, claro, com Marta mexendo no marcador e brilhando. Aos 10 minutos, ela deu aquela moral aqui para o site dando um baita passe de trivela para Bruna fazer o quarto do Brasil no jogo. E aos 19, ela subiu pela esquerda, achou Cristiane na área e cruzou para ela. A zagueira Moron subiu para cortar, mas teve a infelicidade de fazer um gol contra. Com o 5 a 0, a seleção brasileira tirou um pouco o pé e desacelerou o ritmo do jogo, segurando mais a bola no meio-campo. Isso, no entanto, não impediu que o Brasil fizesse mais um tento ainda, quando a partida se encaminhava para o final. Em um jogada articulada por Darlene, a bola sobrou para Thaisa e a camisa 5 fechou a conta: Brasil 6, Bolívia 0. Para sagrar a quinta vitória em cinco jogos de Emily Lima no comando técnico da Seleção.

Perante 16.198 espectadores, as brasileiras deram um show em mais uma ótima noite de futebol feminino na Arena Amazônia. Com arrecadação de R$ 195 mil, os times que disputam a primeira divisão do Campeonato Amazonense deste ano se deram bem também com o saldo das arquibancadas. Isso porque ficou acordado que 7% da renda bruta do amistoso seria repassada para os clubes participantes da competição estadual. A porcentagem será dividida em partes iguais entre Nacional, Rio Negro, Princesa do Solimões, Fast, Manaus, Penarol, Holanda e São Raimundo, e apesar do valor que cada agremiação irá receber não ser nada exorbitante, já é uma tremenda ajuda para clubes que vivem no limite financeiro.

Brasil: Bárbara; Letícia (Fabiana), Bruna Benites, Rafaelle e Tamires (Jucinara); Thaisa, Francielle; Gabi Zanotti (Gabi Nunes), Marta (Thais), Cristiane (Darlene) e Bia Zaneratto (Rosana).

Bolívia: Paola Andrea; Yaneth, Janeth, Ana Maria, Laura e Mayerlin; Mariana, Patricia e Miozotty; Ana Paula e Marcela.