Xherdan Shaqiri foi mais uma bola perdida na cara do gol pela Internazionale. E ter ido para o clube nerazzurro de Milão também não foi uma boa pedida para o suíço. Apesar de ser um bom jogador, o atacante do Stoke City não vingou durante sua passagem pela Itália, e decidiu ir para a Inglaterra antes de completar um ano de Inter. No time italiano, foi titular em praticamente todos os jogos da segunda metade da temporada 2014/15, mas não chegou a marcar nem cinco gols, uma média muito abaixo do esperado. Há mais um ano na equipe da Premier League, Shaqiri deu uma entrevista falando sobre como era a Internazionale fora dos gramados e por que escolheu o Stoke.

LEIA TAMBÉM: Sneijder: “Eu dei tudo pela Inter, mas o meu sonho de criança é jogar pelo Milan”

“Para ser honesto, a infraestrutura da Inter é uma desgraça. É decepcionante que um clube renomado como esse não ache uma forma de investir em infraestrutura”, disse o suíço ao site Spox. “Na Inglaterra são mais profissionais em termos de dieta de jogadores, recuperação de atletas, análise de desempenho e variedade nos treinamentos”, comparou. Shaqiri chegou ao clube milanês no segundo ano da era Erick Thohir, uma administração cujo problema passa longe de ser falta de dinheiro, mas que o montante que entra é mal gerido. Isso explica os resultados insatisfatórios da equipe nerazzurra desde então, mesmo podendo e fazendo boas contratações. O que, convenhamos, de nada adianta se a estrutura interna deixar a desejar.

Já sobre ter optado ir para o Stoke, um time que é coadjuvante na Premier League, e mesmo tendo recebido proposta de um clube inglês mais tradicional, o Everton, Shaqiri falou:  “não ligo para o que dizem sobre minha transferência [sobre terem julgado sua ida para a equipe em que está agora]. Apenas as pessoas que não olham além falam que eu dei um passo para trás na minha carreira”. “Eu queria fugir dos holofotes. O Stoke e Mark Hughes já me queriam quando eu me transferi para a Inter. Tive a sensação que vir para cá seria o melhor encaixe. Hughes é um homem honrado, assim como Jupp Heynckes, quem pode tomar uma decisão desagradável se necessário”, concluiu.

Além do Everton, outro clube inglês que quis anexá-lo ao elenco, só que um ano antes de ter ido para o Stoke, foi o vizinho Liverpool. Shaqiri contou que os Reds manifestaram interesse por ele ao mesmo tempo que o Atlético de Madrid, mas ir para o time da Inglaterra foi sua escolha. O Bayern de Munique, onde estava naquela época, no entanto, barrou sua saída. “Optei pelo Liverpool. Brenda Rodgers entrou em contato comigo algumas vezes durante a Copa do Mundo de 2014, mas o Bayern bloqueou minha transferência”, ele revela.