“Para Quique, com apreço e admiração por sua maneira de ver o futebol”. A mensagem de Sergio Busquets a Quique Setién diz muito sobre o moral do treinador do Betis neste momento. Depois da emblemática vitória por 4 a 3 sobre o Barcelona, o comandante verdiblanco ganhou uma camisa autografada pelo volante. Pela primeira vez nos últimos dez anos, um técnico conquista vitórias no Santiago Bernabéu e no Camp Nou como visitante – algo que nem Diego Simeone registrou com o Atlético de Madrid. E se os beticos possuem um estilo de jogo característico contra os pequenos e médios de La Liga, partindo para cima, o ímpeto se torna ainda maior para resultados históricos em cima dos gigantes. O orgulho é algo que sua torcida jamais se esquecerá.

Depois do jogo, Setién comentou o resultado. E negou os rumores que surgem sobre um suposto interesse do Barcelona em sua contratação: “Veja, estou muito feliz com o resultado e com a maneira como ele aconteceu. Quando executamos atuações como esta, isso ajuda a convencer todo mundo sobre o nosso trabalho e nos ajuda a crescer. Se você me perguntar sobre estilo de jogo, não posso negar que sempre admirei a maneira como o Barça joga e isso me serviu de inspiração. Mas a verdade é que o Barcelona tem um grande técnico, extremamente vitorioso, e eu não tenho intenção de deixar o Betis nos próximos meses. Estou muito feliz aqui”.

O treinador do Betis também ressaltou sua admiração pelos ideais de Johan Cruyff: “Ficamos orgulhosos sabendo que o resultado é vital, mas dias como hoje servem para marcar tanto o Betis quanto o Barça. Creio que Cruyff estaria contente por aquilo que se deu em campo, embora seu clube tenha perdido. Ainda precisamos de muito. O Barcelona leva 25 anos com seu padrão e nós tentamos consolidar uma ideia que às vezes sai bem, outras não. Porém, hoje é um empurrão enorme ao que propomos. Há muita gente que desconfia do que fazemos, porque são resultadistas e o único que vale é ganhar. Eu sempre apostarei nesta ideia e a realidade é que o tempo sempre me dá a razão: a equipe progride pouco a pouco, mas a firmeza e as convicções não mudam”.

Em sua passagem pelo Las Palmas, Quique Setién costumeiramente incomodava os dois gigantes, embora não passado dos empates. Já com o Betis, derrotou o Real Madrid dentro do Bernabéu logo em sua quinta partida, antes de fazer história neste domingo contra o Barcelona – apesar de ter sido goleado na visita anterior ao Camp Nou. Além disso, sua coleção de grandes atuações inclui os 5 a 3 sobre o Sevilla em janeiro e o recente triunfo por 2 a 1 sobre o Milan no San Siro.

O desempenho do Betis neste início de temporada não é muito regular, com empates em excesso e alguns tropeços diante de adversários menores. Ainda assim, considerando o equilíbrio enorme em La Liga, os beticos estão a quatro pontos da zona de classificação às competições continentais, no 12° lugar. Precisam reproduzir mais vezes o visto na Catalunha, se quiserem almejar uma campanha superior à do campeonato passado. Potencial existe – especialmente visando a Liga Europa, um torneio de tiro curto que pode servir para manter a motivação elevada dos verdiblancos.