Serie B da Itália, 33ª rodada. Depois do retorno do futebol, a batalha contra o rebaixamento estava dura. O Cosenza perdeu por 5 a 1 do Specia e é penúltimo colocado, com 31 pontos. Para escapar do descenso sem pelos playoffs, o time precisava alcançar o Venezia, 15º, que tinha 40 pontos, ou seja, tirar uma diferença de nove pontos em cinco rodadas. Uma missão muito difícil. O time da Calábria, então, precisava de um pequeno milagre. Cinco rodadas depois, os Lupi (“Lobos”, em italiano) venceram as cinco partidas e, graças a uma combinação de resultados, escapa do rebaixamento sem nem precisar de playoffs. Um feito para um clube que luta para sobreviver a cada ano e já teve quatro refundações depois de falir.

Para chegar lá, foi preciso dar passo a passo. O primeiro era jogar a rodada seguinte. Diante do Perugia, em casa, vitória por 2 a 1. O Perugia, então, ficou em 15º, com 41 pontos. O Cosenza chegava a 34. O Pescara, 16º, tinha também 41 pontos.

Na rodada seguinte, fora de casa, o Cosenza bateu o Pordenone por 2 a 1. O adversário fazia boa campanha, em quarto lugar. O Cosenza, enfim, ganhava uma posição, indo a 18º, com 37 pontos, mesma pontuação do Trapani, que agora era 19ª. A Juve Stabia era 17ª, com 41 pontos, com o Pescara uma posição acima, com 42, mesma pontuação do Perugia, ainda uma posição acima, em 15º.

Veio a 36ª rodada. O Cosenza, agora em casa, vence o Pisa, que estava no meio da tabela, por 2 a 1. Sobe a 40 pontos, mesma pontuação do Trapani, 19º, a um ponto da Juve Stabia, com 41. O Pescara logo acima tinha 42 pontos. O Perugia, que venceu, foi a 45, em 15º.

Na 37º rodada, o Cosenza consegue um resultado fantástico. Diante do Empoli, no meio da tabela, goleia por 5 a 1 fora de casa. Chega, assim, aos 43 pontos e sobe mais uma posição, para 17º, com 43 pontos, mesma pontuação do Trapani, em 18º. A Juve Stabia, que perdeu e ficou com 41 pontos, caiu para 19º lugar. O 15º, Perugia, tinha 45 pontos.

A última rodada seria dramática. O Cosenza iniciou a rodada em 17º, posição que levava o time ao playoff contra o rebaixamento. Precisava vencer a Juve Stabia, 19º, e torcer contra Pescara e Perugia para, quem sabe, ficar em 15º e escapar completamente do rebaixamento.

O Cosenza não podia perder o jogo, claro, porque isso faria o time cair para a Serie C diretamente. Em casa, venceu a Juve Stabia por 3 a 1, fazendo a sua parte. O Perugia perdia do Venezia fora de casa por 3 a 1, resultado que favorecia o Cosenza. Faltava o Pescara. Em Verona, o Pescara empatava por 0 a 0 com o Chievo. Isso fazia com que os dois times ficassem empatados com 46 pontos. Como no confronto direto, o primeiro critério de desempate, o Pescara levava vantagem, era preciso a derrota do adversário.

Aos 43 minutos do segundo tempo, Luca Garritano marcou o gol do Chievo. Com um detalhe curioso: o atacante, de 26 anos, nasceu em Cosenza e chegou a defender o clube na temporada passada, 2018/19. Com o seu gol, o Cosenza subiu uma posição, para 15º, e escapou do rebaixamento. O time que parecia condenado arrancou para uma improvável sequência de cinco vitórias e viu os adversários tropeçarem.

“Nós conseguimos! Conseguimos porque sempre acreditamos, mesmo quando tudo parecia perdido e nós estávamos entrando em campo com os estádios só aparentemente vazios, mas cheios de expectativas e desejo pela vitória”, declarou o presidente do Cosenza, Eugenio Guarascio.

“Neste momento cheio de alegria e entusiasmo, é meu dever expressar gratidão e estima por todos aqueles que fizeram essa ultrapassagem possível. Começando pelo técnico [Roberto] Occhiuzzi, um filho de Cosenza que com humildade e coragem arrancou do time o melhor resultado ao permanecer na Serie B”, continuou o dirigente.

“Agradecimento aos jogadores, aos funcionários, aos torcedores vermelhos e azuis por todo o mundo por nos acompanhar nessa empolgante aventura: todo mundo foi um protagonista, todo mundo foi parte do time e tornou essa vitória possível”, disse ainda Guarascio. “Este marco nos ensina que a união viabiliza qualquer negócio, porque como disse o inesquecível Eduardo Galeano, o futebol é a arte do imprevisível”.

O técnico também se mostrou muito empolgado. “Esta página não será apagada da história do Cosenza. Agora nós temos que aproveitar o que fizemos. O presente diz salvação, e nós merecemos. O futuro? Veremos. Agora, vamos aproveitar a festa”, disse o treinador. Nascido na região, o técnico fez questão de lembrar disso. “Minhas origens são a minha força. Eu tenho orgulho de ser de Cetrara, eu tenho orgulho de ser de Cosenza”.

Occhiuzzi assumiu o time para as 11 rodadas finais, quando as coisas estavam em uma situação terrível. Sob o seu comando, foram sete vitórias, um empate e três derrotas. E na conta, a salvação do rebaixamento.

Festa na Calábria

Os torcedores do Cosenza saíram às ruas para comemorar a permanência. Em tempos de pandemia, foi difícil manter o distanciamento social. A festa foi gigante e alguém pode perguntar: tudo isso por que não cair para a terceira divisão? Sim, é isso mesmo. A Calábria fica no sul da Itália, que tem poucos representantes nas duas primeiras divisões.

“Outro grande feito para o esporte calabrês. Cosenza, com uma virada histórica, conquista a permanência na Serie B. Comemora toda uma província e toda a Calábria. Uma grande alegria”, palavras de Jole Santelli, a presidente da Calábria desde março.

O Crotone, que também é da Calábria, subiu para a primeira divisão. O Reggina subiu para a Serie B e, portanto, fará um clássico com o Cosenza. A região, assim, teve muito o que comemorar. Para o futebol calabrês, o Cosenza deu muita alegria.

Até porque o Cosenza é um clube que herda uma história de falências. O clube, que era Cosenza Calcio 1914, referência ao seu ano de fundação, faliu em 2003 e foi expulso do futebol profissional da Itália. Em 2004, o clube ganhou uma ação na justiça para ser admitido na Serie D e, em 2005, assumiu o nome de AS Cosenza Calcio, depois de um clube que tinha sido refundado como AS Cosenza FC fechou. O time foi refundado em 2007, mas faliu.

Em 2011, foi refundado novamente como Nuova Cosenza Calcio S.r.l. e recomeçou na Serie D. Foi subindo e, em 2018, conseguiu o acesso à Serie B, um feito para o time. Manter-se como um time de Serie B pelo segundo ano seguido, portanto, é um enorme sacrifício para o pequeno clube. O que dá para perceber pelo tamanho da festa.