Serie A

Ribéry permanecerá na Serie A, agora para auxiliar a Salernitana em busca da permanência

Após ficar sem contrato com a Fiorentina, Ribéry foi anunciado como novo reforço da Salernitana

Aos 38 anos, Franck Ribéry ainda não considera pendurar as chuteiras. O francês permaneceu as duas últimas temporadas na ativa com a Fiorentina e, diante do término de seu contrato, estava livre no mercado para assinar com outro clube. Pois a jornada do veterano seguirá na Serie A, agora com a pequena Salernitana, recém-promovida para a primeira divisão nesta temporada. Depois de conversar com alguns clubes, o ponta já vinha indicando sua chegada a Salerno e foi anunciado oficialmente nesta segunda-feira. Ribéry vem com contrato de um ano, que será renovado automaticamente se cumprir alguns requisitos esportivos.

Depois de se despedir do Bayern de Munique como uma lenda, Ribéry ainda estava disposto a encarar novos desafios, em vez de retornar para a França ou de pendurar as chuteiras. A Fiorentina ofereceu um negócio interessante ao ponta, defendendo um projeto ambicioso e também uma camisa histórica. No Artemio Franchi, o veterano teve seus lampejos de craque e algumas partidas inesquecíveis. Porém, os resultados não decolaram. A Viola permaneceu aquém das expectativas na Serie A e o próprio Ribéry teria algumas dificuldades com sua sequência, acumulando lesões principalmente na primeira temporada.

Diante do fim de contrato de Ribéry, a Fiorentina preferiu cortar seus gastos e não renovar o vínculo do atacante. O francês deixou a Viola com 51 jogos disputados, totalizando cinco gols marcados e dez assistências. E ficou livre para buscar um novo destino. Vários potenciais interessados apareceram. Ribéry foi atrelado a negócios com clubes da Turquia, enquanto até mesmo um retorno ao Bayern foi ventilado. Contudo, durante os últimos dias, ficou mais claro o desejo do francês em permanecer na Itália e seus empresários ofereceram seus serviços a diferentes clubes. O Verona até parecia forte no páreo, mas é a Salernitana que fecha o negócio.

Em Salerno, Ribéry conviverá com uma realidade bem distinta à que estava acostumado, lutando contra o rebaixamento num clube que voltou à elite após duas décadas de ausência. De qualquer maneira, o atacante representa um salto de qualidade ao grupo e também um grande exemplo nos vestiários. Se permanecer saudável durante os próximos meses, certamente seu talento deve valer alguns pontos na disputa contra o descenso. E ele permanecerá como um grande personagem para valorizar a Serie A. Certamente os jogos da Salernitana ganharão um chamariz.

“Estou muito feliz de estar com vocês, com meu novo time e com o novo técnico. Todos nós temos um objetivo, que é permanecer na primeira divisão. Darei meu melhor a todos vocês, pelo clube e pelo time. A equipe é o mais importante e precisamos ajudar os mais jovens. As negociações não foram difíceis, falei com a diretoria e transmitiram a motivação. Eu me apaixonei pela torcida antes de chegar”, comentou Ribéry, em sua primeira mensagem para os torcedores em Salerno.

“Estou me sentindo bem, mas não estou aqui para me divertir. Eu ainda tenho muito a provar. A Serie A é uma liga difícil e preciso dar meu melhor. Tentarei me encaixar rapidamente. Vivo para o futebol, se vivesse para o dinheiro não estaria aqui. Minha família foi vital para a escolha, tive que explicar minha decisão e não foi fácil dizer aos meus filhos que seguiria longe. Tive que falar com eles porque não conseguia me decidir sozinho. Já me sinto em casa, parece que estou aqui há dois ou três anos. Agora preciso provar meu valor e ajudar a equipe”, finalizou.

A Salernitana fez um mercado de transferências bastante ativo em busca de reforços. Entre as principais novidades aparecem o meio-campista Joel Obi, assim como o centroavante Simy. Ribéry certamente aumenta os recursos do elenco disponível ao técnico Fabrizio Castori, o que ainda não parece suficiente para livrar o clube do risco de rebaixamento. Mesmo assim, com o francês, o Granata ganha um jogador capaz de decidir partidas e oferecer ares especiais a esta jornada de volta à elite.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo