Serie A

Que venha o Liverpool? Milan brinca no San Siro e interrompe boa fase da Lazio

Em tarde inspirada, defesa milanista não foi muito incomodada pelo ataque rival

Dois times que gostam de atacar se enfrentaram neste domingo, no San Siro. Era o duelo entre Stefano Pioli e Maurizio Sarri, dois treinadores de muito prestígio na Serie A. E ao menos por essa rodada, Pioli pôde comemorar um bom jogo contra seu colega de profissão. O Milan fez 2 a 0 na Lazio e soube administrar muito bem sua superioridade ao longo dos 90 minutos.

LEIA MAIS: De entregador de eletrodomésticos a atacante de um gigante, Júnior Messias chega ao Milan

Ficou claro com pouco tempo de jogo que o Milan iria mandar dentro de campo. Com a posse para si e tendo mais repertório para explorar os espaços da defesa laziale, o time da casa estava bem à vontade, além de contar com o apoio da torcida nas arquibancadas.

Lazio nas cordas

Sabendo levar mais perigo, o Milan teve em Rafael Leão o centralizador de suas chegadas. No apoio, Ante Rebic também não decepcionou e se mostrou muito solidário quando tinha a bola na ponta-direita. Contudo, apesar de estarem mais perto de abrir o placar, os rossoneri só o fizeram de fato nos segundos finais da primeira etapa. Leão conduziu sem ser incomodado, jogou em Rebic e recebeu a devolução para bater no canto de Pepe Reina, um golaço que já era bola cantada desde que o árbitro autorizou o início da partida.

Atordoada, a Lazio ainda viu Ciro Immobile, completamente fora de posição, cometer um pênalti em Franck Kessié. Uma solada do atacante no pé do milanista foi revista no VAR e o árbitro Daniele Chiffi assinalou. Mas na hora de se consagrar, Kessié chutou no travessão.

Ibra agita um segundo tempo morno

Naturalmente, quando a bola rolou para a segunda etapa, era de se esperar que a Lazio viesse com fome para buscar o empate. Contudo, chegava a ser frustrante para Sarri, da lateral, ver que todas as ações de perigo eram neutralizadas por Sandro Tonali, que foi praticamente o dono da bola.

Quando os aquilotti superavam o volante, a zaga composta por Alessandro Romagnoli e Fikayo Tomori deu conta do recado. Foram muitas as ocasiões em que os visitantes entravam na área e perdiam a bola como em um jogo de adultos contra juvenis, tamanha a facilidade com que os milanistas desarmavam. Somente na meia-hora final é que a Lazio conseguiu chutar de fato ao gol. Foram cinco arremates, todos defendidos sem muito esforço por Mike Maignan. E ao que depender dele, ninguém na cidade chorará a saída de Gianluigi Donnarumma.

Faltava só o golpe capital para derrubar de vez a Lazio no jogo. E ele veio aos 21 minutos, em boa jogada de Rebic pela esquerda. O croata, que gostou demais de ser garçom, fez todo o trabalho de atrair e se desvencilhar da marcação, apenas rolando para Zlatan Ibrahimovic, que havia entrado minutos antes. Ibra fez o gol que todo centroavante sonha: só precisou se posicionar e chutar sem ninguém por perto para impedir.

Houve o famoso abafa da Lazio no terço final da partida, mas sem efetividade. Sem que Immobile pudesse participar de fato, ficou mais fácil para os mandantes. Mais importante do que isso: o Milan segue com 100% de aproveitamento e breca a sequência de um time que vinha marcando, em média, três gols por jogo. Antes líder, a Lazio agora cai para a sexta colocação.

A semana mais movimentada da temporada do Milan começou bem. Na quarta-feira, Pioli e seus comandados enfrentam o Liverpool, pela Liga dos Campeões. Os Reds, que doutrinaram o Leeds em partida no mesmo horário, devem ser um desafio indigesto para uma equipe que há tanto tempo não briga nas grandes competições internacionais. Para completar a sequência delicada, os rossoneri pegam a combalida Juventus, no domingo. Já a Lazio, que está na Liga Europa, visita o Galatasaray e também não deve ter vida fácil.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo