ItáliaSerie A

A Juve recordista de pontos tem mais méritos próprios que deméritos dos outros

A Juventus não teve a badalação do Bayern de Munique, a arrancada do Atlético de Madrid, o dinheiro de Paris Saint-Germain e Manchester City. Ainda assim, nenhum outro clube das cinco grandes ligas da Europa teve um aproveitamento melhor do que a da equipe de Antonio Conte. Nem nesta temporada e em nenhuma anterior com 38 rodadas. A Juve estabeleceu o novo recorde para um campeonato deste tamanho, com 102 pontos em 114 possíveis, 89,5% do máximo que poderia conquistar – e só o Celtic, com 103 pontos em 2001/02, possui marca superior no resto da Europa. Uma campanha ainda melhor do que as feitas nos dois primeiros títulos do atual tricampeonato, fechada com a vitória por 3 a 0 sobre o Cagliari.

>>> A Juventus tricampeã italiana deve muito ao seu insaciável ataque

Desde que a Serie A começou a ser disputada em 38 rodadas, na temporada 2004/05, somente a Inter de 2006/07 tinha feito mais do que 90 pontos. E não dá nem para culpar a concorrência. A Roma vice-campeã chegou a 85 pontos, melhor do que seis dos últimos nove campeões italianos, incluindo nesta conta a Juventus invicta em 2011/12. E o Napoli, terceiro colocado com 75 pontos, teve a maior pontuação entre os clubes que terminaram na posição durante as últimas dez temporadas. É verdade que Milan e Internazionale, os outros grandes, não estavam em seus melhores momentos. Mas não dá para diminuir a façanha da Velha Senhora por causa dos adversários, já que os clubes médios também surpreenderam – e, nessa conta, também dá para incluir Fiorentina, Torino, Parma e Verona.

Durante o início da campanha, a Juve até pareceu fraquejar na busca de seu 30º (ou 32º, na conta dos bianconeri) título nacional. A Roma teve a melhor arrancada da história da Serie A, vencendo seus 12 primeiros jogos. O Napoli também começou muito bem, com uma derrota e um empate até a 10ª rodada. Já a Juventus não convencia tanto. Empatou com a Inter logo no terceiro compromisso, passou a acumular vitórias sofridas contra os pequenos e tomou uma lavada contra a Fiorentina por 4 a 2. O ponto de virada.

Depois disso, foram 14 vitórias consecutivas. Combinado com a queda de rendimento da Roma e do Napoli, a Juventus disparou. Venceu seus 19 jogos no Juventus Stadium. Marcou gols em 37 das 38 partidas – a exceção foi na visita ao Napoli, no San Paolo. Não tomou gol em 22 jogos. Teve a melhor defesa e o melhor ataque do campeonato. Se nas últimas campanhas, o ótimo setor ofensivo montado por Antonio Conte garantia ao menos o empate, desta vez os homens de frente garantiram as 33 vitórias, também um recorde.

O jogo festivo contra o Cagliari contou com o time completo. Andrea Pirlo marcou um belo gol de falta, Fernando Llorente e Claudio Marchisio também anotaram os seus. A tarde teve o estádio lotado principalmente para ver a entrega da taça, nas mãos do capitão Gianluigi Buffon. A partir de agora, a Juve pode usar a terceira estrela no peito sem contestação. Motivo a mais para tentar desencantar também na Liga dos Campeões, onde deixou a desejar nos últimos tempos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo