Serie A

Gattuso deixa a Fiorentina sem comandar um jogo sequer após desentendimento sobre contratações

Anunciado em maio como técnico da Fiorentina, Gattuso se desentendeu com a diretoria do clube em relação a contratações, algo que tem a ver com seu empresário, Jorge Mendes

A Fiorentina anunciou que Gennaro Gattuso não será mais o técnico da equipe na próxima temporada. Ele foi anunciado no dia 25 de maio, logo depois de deixar o Napoli, mas nem chegou a estrear no Artemio Franchi. Um desentendimento entre o técnico e a direção do clube levou a um racha que não foi contornado.

Na noite desta quarta-feira, surgiram relatos que o desentendimento entre Gattuso e a diretoria era sério e que havia o risco do técnico deixar o clube por isso. Nesta quinta-feira, a Fiorentina oficializou a saída do treinador. Sua passagem não durou nem um mês e acabou sem nem ter começado, na verdade, já que os jogadores ainda estão de férias.

“ACF Fiorentina e o técnico Rino Gattuso, por acordo mútuo, decidiram não dar seguimento ao acordo anterior e, portanto, não iniciar a próxima temporada de futebol juntos”, diz a nota da Fiorentina. “O clube imediatamente começou a trabalhar para identificar uma escolha técnica que irá guiar o time da Viola aos resultados que a Fiorentina e a cidade de Florença merecem”.

O desentendimento entre Gattuso, o presidente do clube, Rocco Comisso e o gerente Giancarlo Antognoni aconteceu por causa da atuação do clube no mercado de transferências. Gattuso tem como empresário Jorge Mendes, um dos mais poderosos e influentes do mercado. Foram propostos jogadores para serem contratados que são agenciados pelo empresário.

Segundo os relatos que surgiram na Itália, a Fiorentina queria fazer investimentos menores do que os propostos por Gattuso e seu empresário. O técnico insistia em reforços, enquanto o clube preferia um outro perfil de contratações. As duas partes não entraram em acordo e, assim, o casamento foi desfeito antes mesmo de ser oficialmente concretizado.

Oficialmente porque embora Gattuso tenha sido anunciado e estava trabalhando no clube, seu contrato nunca foi nem depositado na liga e nem será. O trabalho terminou antes mesmo de começar. Com isso, tanto a Fiorentina procurará um treinador quanto Gattuso também buscará outro clube para trabalhar.

A carreira de Gattuso

Aos 43 anos, Gattuso começou a carreira como técnico ainda em 2013, antes mesmo de pendurar as chuteiras. Ele foi jogador-treinador no Sion, da Suíça, mas foi apenas por três jogos. Ainda naquele ano, em 2013, assumiu efetivamente como técnico do Palermo. Novamente, durou pouco: foram apenas oito jogos, de junho a setembro.

Foi para o Crete, da Grécia, e ficou de julho a dezembro de 2014 no clube, com 17 jogos disputados. Mais um trabalho interrompido. Foi para o Pisa, em 2015, treinar na Serie C. Lá, conseguiu subir com o clube para a Série B. Depois do acesso, porém, ele deixou o clube alegando “problemas inaceitáveis, sérios e constantes”. Isso era julho. Pouco mais de um mês depois, em setembro, ele voltou ao Pisa como técnico para conduzir o clube na Serie B.

A campanha do time na Serie B foi terrível. Rebaixado em último lugar, o Pisa teve uma curiosidade: foi a segunda melhor defesa, com 36 gols sofridos em 42 jogos. A melhor defesa foi do Spezia, oitavo colocado, que sofreu apenas 34 gols. O problema é que o time de Gattuso foi inversamente proporcional no ataque: foram 23 gols em 42 partidas, pior ataque da liga, média inferior a 0,5 gol por jogo. Assim, foi rebaixado. Gattuso, novamente, pediu demissão.

Seu trabalho seguinte foi no Milan, mas nas categorias de base. Tornou-se o técnico do time sub-19 dos rossoneri. De julho a novembro de 2017, quando foi promovido ao time principal, após a demissão de Vincenzo Montella. Na sua primeira temporada completa no cargo, em 2018/19, ficou a um ponto da zona de classificação à Champions League, atrás da Internazionale. No fim, o clube acabou punido pela Uefa por violação do Fair Play Financeiro e não disputou nem a Liga Europa. Gattuso deixaria o clube após o final daquela temporada.

Em dezembro de 2019, Gattuso foi contratado pelo Napoli, depois da demissão de Carlo Ancelotti. Muito elogiado pelo presidente Aurelio De Laurentiis, ficou até o fim da temporada 2019/20 e manteve o posto para a temporada seguinte, 2019/20. Naquela mesma temporada, após a paralisação por causa da COVID-19, ele venceu a Copa da Itália em uma final com a Juventus. Já na temporada seguinte, em 2020/21, que acabou recentemente, Gattuso comandou o Napoli rumo a uma campanha que parecia destinada a chegar à Champions League. Só que na última rodada, o time perdeu a vaga depois de empatar, em casa, com o Verona. Foi ultrapassado pela Juvenuts. Ele foi demitido naquele mesmo dia.

Parecia que seu trabalho seguinte na Serie A seria a Fiorentina, com o anúncio realizado ainda em maio. Só que durou pouco e acabou antes mesmo de começar depois desse desentendimento por causa de contratações.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo