Serie A

Buffon anuncia saída da Juventus, mas aposentadoria é incerta: “Se achar algo que me motiva, irei considerar”

Goleiro anunciou em entrevista à Bein Sports o adeus definitivo à Velha Senhora e pondera o pendurar das luvas

A história entre Gianluigi Buffon e Juventus está chegando a um fim, desta vez definitivo. O veterano anunciou em entrevista à Bein Sports nesta terça-feira (11) que está de saída da Velha Senhora, citando um fim de ciclo inevitável. Por outro lado, o goleiro, hoje com 43 anos, não descarta seguir jogando, ainda que precise da motivação certa para isso.

Com exceção da temporada 2018/19, Buffon passou seus últimos 20 anos defendendo a Juve e gravando seu nome na história do clube. À época da transferência para o PSG em 2018, a impressão era de que seu capítulo final com a Velha Senhora já havia sido escrito. Se aquele adeus se provou temporário, o goleiro garante que desta vez a despedida como jogador é irreversível.

“Meu futuro está claro e definido. Esta bela e longa experiência com a Juve chegará a um fim definitivo neste ano. (…) Sinto que dei tudo pela Juve. Recebi de tudo, e não há mais que possa ser feito. Alcançamos o fim de um ciclo, e o certo é remover o distúrbio”, explicou Buffon à Bein Sports.

LEIA TAMBÉM: Na Juventus em que foi tão grande, o maior momento de Buffon foi quando aceitou ser menor, na Serie B

Segunda opção no gol desde seu retorno a Turim em 2019, Buffon pouco jogou nesta temporada, com apenas 12 partidas em todas as competições. Neste pouco tempo em campo, no entanto, mostrou ainda ser capaz de ser útil, passando sete jogos sem ser vazado. Com um pouco de combustível restante, o goleiro não descartou prosseguir sua carreira na próxima temporada. Tudo dependerá das oportunidades que aparecerem e do que elas poderão oferecer: “Ou eu paro de jogar, ou eu encontro uma situação que me motive a jogar ou a ter uma experiência de vida diferente. Levarei isso em consideração”.

Buffon adoraria poder terminar sua passagem pela Juventus com mais um Scudetto, mas a Velha Senhora passou longe de brigar pelo título, conquistado pela Internazionale. Na quinta colocação, a três rodadas do fim do campeonato, a equipe corre o risco de ainda ficar de fora da Champions League da próxima temporada, e o goleiro culpa o desempenho da equipe em jogos contra oponentes teoricamente mais frágeis pela campanha decepcionante.

“Nos faltou continuidade. No fim, nos jogos que fizemos contra os cinco, seis times do topo, vencemos frequentemente, empatamos alguns e perdemos outros. Mas foram jogos equilibrados. No entanto, perdemos pontos bobos contra times menores. Isso significa que sua equipe ainda precisa crescer em caráter.”

Independentemente da campanha na atual temporada, Buffon deixa uma grande história e um legado importante na Juventus. Foram 20 títulos ao todo, incluindo dez conquistas da Serie A. Nos momentos difíceis, esteve lá também pelo clube, aceitando jogar a segunda divisão em 2006/07 após o rebaixamento nos tribunais devido ao escândalo do Calciopoli. A cereja em cima do bolo que seria a conquista da Champions League, por sua vez, ficará apenas no plano do desejo, com o goleiro batendo na trave em três oportunidades em 2002/03, 2014/15 e 2016/17, quando a Velha Senhora terminou como vice-campeã.

Após a publicação da entrevista à Bein Sports, Buffon endereçou um adeus específico aos torcedores da Juventus em suas redes sociais, com o capricho característico de suas palavras.

“Todo começo também tem um fim, e este é o fim da minha segunda vez na Juve. Uma decisão tomada, amadurecida e comunicada meses atrás. Mas não é uma decisão fácil. Porque não é fácil cortar este cordão, aqui onde está minha história, minha alegria, minhas lágrimas, minha casa. Mas eu sei que esse momento chegou. Não há nenhum agradecimento grande o suficiente. Eu dei tudo de mim. Eu recebi mais. O porvir está aí para ser escrito. E para ser vivido. Sempre, até o final.”

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo