Serie A

A Roma usará uma camisa em apoio aos refugiados do Afeganistão e organizará um leilão para doações

Na manga da camisa, a Roma trará o símbolo do Acnur, o Alto Comissariado da ONU para Refugiados

A Roma usará uma camisa especial nesta rodada da Serie A. Na manga do uniforme, os giallorossi exibirão o símbolo do Acnur – o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados. A agência da ONU lida com crises de refugiados e tem atuado intensamente diante dos desdobramentos no Afeganistão. Assim, as camisas utilizadas pelos jogadores contra o Sassuolo no próximo domingo serão leiloadas e o dinheiro será revertido para apoiar os refugiados afegãos atendidos pelo Acnur. O clube também criou uma página para doações de torcedores.

Segundo a Roma, essa é a primeira iniciativa de um clube de futebol para apoiar o Acnur durante a crise no Afeganistão. Desde o começo do ano, mais de 570 mil pessoas no país fugiram de suas casas. São cerca de 3,5 milhões de afegãos que precisam de auxílio, sendo 80% compostos por mulheres e crianças. A ação ainda acontece em comemoração aos 70 anos da Convenção de Genebra para Refugiados, que estabeleceu direitos a essa população nas legislações internacionais.

“Saudamos o apoio que a Roma, com a ajuda da nossa agência, quer dar ao povo do Afeganistão. Apesar das circunstância incrivelmente difíceis, o Acnur optou por permanecer no Afeganistão (um país onde trabalhamos há mais de 40 anos) para prestar assistência e salvar vidas. Apenas neste ano, fornecemos itens essenciais a mais de 240 mil pessoas, mas a necessidade cresce a cada hora e os fundos são lamentavelmente insuficientes. Em momentos como esses, mesmo uma pequena contribuição pode fazer uma grande diferença”, comentou Chiara Cardoletti, representante do Acnur na Itália, no Vaticano e em San Marino.

“Estamos honrados em poder ajudar o Acnur com uma atividade que apoia as pessoas no Afeganistão, que estão passando por uma crise humanitária notada em todo o mundo. Estamos certos de que, mais uma vez, os torcedores da Roma mostrarão sua compaixão e generosidade diante de uma tragédia que afeta homens, mulheres e crianças. Todos no clube querem mostrar nosso apoio às pessoas afetadas e nossos jogadores ficarão orgulhosos de usarem o emblema”, comentou Guido Fienga, o CEO da Roma.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo