Serie A

A Roma fecha o círculo de transferências entre centroavantes, ao oficializar a compra de Tammy Abraham

Abraham chega para ocupar a lacuna deixada por Dzeko na Roma e pode se dar bem no jogo de Mourinho

Na dança das cadeiras que envolveu uma série de atacantes nos últimos dias, a Roma encerrou tal círculo ao confirmar a contratação de Tammy Abraham. O centroavante segue aos giallorossi após a venda de Romelu Lukaku da Internazionale ao Chelsea e de Edin Dzeko da Roma à Inter. Aos 23 anos, preterido por Thomas Tuchel em Stamford Bridge, o inglês indica potencial para se tornar um nome importante nesse novo momento dos romanistas. E, por suas características de jogo, pode se encaixar muito bem dentro daquilo que pede José Mourinho – segundo relatos, o treinador foi essencial para convencer o novato nas tratativas. Não possui a qualidade técnica de Dzeko, mas compensa em suas perspectivas de evolução.

Abraham custou caro para receber o rótulo de “solução dos problemas” da Roma. O clube italiano pagou €40 milhões pela transferência, no segundo negócio mais caro já feito pelos giallorossi. Apenas Patrik Schick custou um preço mais alto que o do inglês, €42 milhões na época. O novato, ainda assim, possui a honra de seu valor absoluto ser maior do que o desembolsado por Gabriel Omar Batistuta em 2000/01 – agora, a terceira transferência mais cara da lista romanista. O novo contrato foi assinado pelos próximos cinco anos.

A saída de Abraham do Chelsea foi ditada por sua parca utilização durante os últimos meses. Thomas Tuchel parecia não levar o centroavante muito em conta, com suas preferências por jogadores de maior mobilidade. Por fim, a contratação de Romelu Lukaku fechou de vez as portas ao inglês em Stamford Bridge. Mas, analisando de maneira geral, todas as partes parecem sair ganhando. Os Blues cobrem parte dos gastos para levar Lukaku, a Roma ganha um atacante que pode estrelar seu ataque por muito tempo e Abraham chega a um ambiente onde tende a ganhar sequência. Mais importante, em que pode deslanchar, considerando a tutela de José Mourinho a partir de agora.

Apesar das idas e vindas em sua carreira, Abraham tem números animadores para desabrochar na Serie A. Antes de receber as primeiras chances no Chelsea, o centroavante teve bons empréstimos por Bristol City e Aston Villa na Championship – impulsionando o clube de Birmingham rumo ao acesso. Além do mais, o inglês também se saiu bem sob as ordens de Frank Lampard quando retornou a Stamford Bridge. Foram 29 gols e 12 assistências em 72 aparições nas duas últimas temporadas, incluindo 21 tentos na Premier League e outros quatro na Champions. Todavia, os meses com Tuchel foram de ostracismo ao jovem.

A partir da mudança de treinador, Tammy Abraham atuou pouco no Chelsea. Era utilizado sobretudo como substituto e uma lesão no tornozelo ainda atrapalhou a sequência. Não entrou em campo nenhuma vez pela Champions e totalizou sete aparições com o alemão, anotando seu único gol na Copa da Inglaterra. Neste reinício de temporada, viu do banco a vitória sobre o Villarreal na Supercopa Europeia. De qualquer maneira, seu destino estava traçado rumo à Roma, ainda mais diante do anúncio iminente de Romelu Lukaku pelos Blues naquele momento.

No Estádio Olímpico, Abraham terá a chance de ser uma referência. Poucos jogadores no elenco atual da Roma possuem o potencial do centroavante. Poderá encabeçar a ala mais jovem ao lado de Nicolò Zaniolo. Além disso, sua própria adaptação tende a ser facilitada. Mourinho certamente já trocou figurinhas com Lampard sobre a maneira de explorar o melhor potencial do centroavante, enquanto Chris Smalling é outro compatriota dentro do grupo. Porém, diante de seu preço e das necessidades, o camisa 9 deverá lidar com uma pressão correspondente.

Dzeko foi a grande figura da Roma nos últimos anos e deixa uma lacuna clara. O clube muitas vezes foi além de suas possibilidades graças ao centroavante. Atualmente, há um processo de reconstrução e um conjunto que sugere mais possibilidades. De qualquer maneira, falta alguém que tome esse peso de solução dentro da área, o que Abraham pode fazer. Vale lembrar que, além do inglês, os giallorossi também contam com a presença de Borja Mayoral no setor e ainda contrataram Eldor Shomurodov junto ao Genoa na atual janela de transferências.

Para Abraham, esse recomeço fora da Premier League deve ter grande valia. São poucos os jogadores ingleses que se aventuram fora de casa, mas o centroavante já apresentou qualidades que podem ajudar em sua afirmação na Serie A. Chega num clube tradicional e onde certamente causará grande interesse, diante da alta produtividade dos artilheiros no Calcio durante as últimas temporadas. Talvez a capital italiana sirva de atalho para voltar à seleção inglesa e, a depender de seu sucesso, até mesmo a uma potência da Premier League. O caminho feito por Lukaku indica tal possibilidade. Abraham tentará agora escrever sua própria história.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo