Serie A

A compra de Koopmeiners foi a cereja do bolo no ótimo mercado realizado pela Atalanta

Capitão do AZ e um dos destaques da Eredivisie, Koopmeiners é mais um daqueles grandes negócios da Atalanta

Na véspera do fechamento de mercado, a Atalanta acertou uma das contratações mais promissoras da janela italiana. A Dea fechou a compra de Teun Koopmeiners, referência do AZ e reserva da Holanda / Países Baixos na Euro 2020. Como de praxe, os Orobici pagaram um preço relativamente baixo para os padrões atuais: um total de €12 milhões, em assinatura válida pelas próximas quatro temporadas. O meio-campista de 23 anos tende a ser mais um daqueles jogadores que se valorizam em Bérgamo e se encaixam bem no estilo de jogo ofensivo da equipe de Gian Piero Gasperini.

Koopmeiners se acostumou a cumprir funções defensivas no AZ. O jovem geralmente atua como volante, mas também ocupou o posto de zagueiro. Até por isso, a produção ofensiva do meio-campista chama bastante atenção. Ele anotou 35 gols e ofereceu 12 assistências em 116 partidas pela Eredivisie. Foram 15 tentos na liga passada, por mais que sete pênaltis convertidos engordem a conta. Os chutes de longa distância e as cobranças de falta são virtudes de Koopmeiners, assim como a capacidade para armar o time a partir de seus lançamentos. E isso sem perder a consistência defensiva, com boa estatura e qualidade nos combates. Para sua posição, é bastante completo.

Até pela idade, Koopmeiners possui alguns pontos a evoluir. Um ótimo indicativo, porém, veio no salto que deu durante o último semestre. O meio-campista tinha integrado a seleção holandesa sub-21 na primeira fase da competição, disputada na Data Fifa de março. Contudo, seria aproveitado por Frank de Boer durante a Eurocopa. Não chegou a entrar em campo na competição continental, esquentando o banco ao longo do torneio, mas está claro como pode se tornar uma peça frequente no próximo ciclo com Louis van Gaal.

Além disso, Koopmeiners traz consigo uma experiência muito boa por clubes. O novato foi titular do AZ durante as últimas quatro temporadas e acumulou mais de 150 partidas pela equipe de Alkmaar, incluindo Liga Europa e preliminares da Champions. Cria das categorias de base, também ganhou a braçadeira de capitão muito cedo. Foram duas temporadas completas com a faixa no braço, inclusive em 2019/20, quando o AZ realizou uma excelente campanha na Eredivisie e terminou com o vice-campeonato. Num elenco recheado de jovens talentos, o meio-campista despontava como uma liderança.

Neste final de semana, Koopmeiners viveu um emotivo adeus na Eredivisie. O volante foi o capitão durante a vitória por 3 a 1 sobre o Heerenveen e o anúncio como reforço da Atalanta era questão de tempo. Na entrevista após o jogo, ele não escondeu as lágrimas. Uma pena que o compromisso não tenha acontecido em Alkmaar, diante da torcida, que certamente ofereceria uma bela homenagem ao prata da casa. O capitão chegou ao clube com 12 anos e passou por todos os níveis da base até o estrelato. Agora, quem carregará o nome da família no elenco é o irmão mais novo, Peer Koopmeiners, de 21 anos.

Na Atalanta, Koopmeiners deverá aumentar o arsenal ofensivo entre os volantes da equipe. Deverá se revezar na posição com Remo Freuler, Mario Pasalic e Marten de Roon. Além disso, reforça a colônia holandesa do clube, que também conta com o próprio De Roon e Hans Hateboer – além de Robin Gosens, que possui dupla nacionalidade. Não tende a ser um jogador que terá dificuldades para se adaptar, embora Gasperini geralmente conduza sem pressa as inserções em sua equipe.

Koopmeiners amplia um mercado muito bom da Atalanta nesta janela de transferências, em gastos que totalizaram €68 milhões. Também chegaram o goleiro Juan Musso, os zagueiros Merih Demiral e Matteo Lovato e os laterais Davide Zappacosta e Giuseppe Pezzella. Enquanto isso, a única perda significativa foi mesmo a de Cristian Romero – com o clube ainda recebendo €38 milhões com a venda de jogadores que já estavam emprestados, a exemplo de Musa Barrow e Roger Ibañez. Resta aguardar a competitividade se manifestar, com um início de campanha ainda morno na Serie A.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo