Seguindo o caminho pavimentado pela França, que desde o último sábado (11) permite a realização de eventos esportivos com públicos de até cinco mil pessoas, a Itália trabalha em um protocolo para defender a volta dos torcedores aos estádios da Serie A ainda nesta temporada.

O plano foi revelado nesta segunda-feira (13), em um comunicado oficial da Lega Serie A logo após uma videoconferência envolvendo todos os 20 clubes da primeira divisão nacional. De acordo com o texto, um protocolo está sendo finalizado para ser entregue a Gabriele Gravina, presidente da Federação Italiana (FIGC), que então o apresentaria a autoridades. A reabertura das arquibancadas, é claro, seria em número reduzido e dependendo da evolução da pandemia nas diferentes regiões.

“A Lega Serie A, já nas últimas provas desta temporada, espera que todos os clubes possam, de acordo com as especificidades de cada realidade e instalação, reabrir seus estádios a um número limitado de torcedores. Neste sentido, um protocolo articulado está sendo finalizado e será entregue nas próximas horas ao presidente da FIGC, Gabriele Gravina, para que ele possa utilizá-lo em discussões com as instituições governamentais responsáveis”, diz um trecho do comunicado.

No cronograma atual, a Serie A está programada para ser encerrada em 2 de agosto, com seis rodadas completas restantes. Isso significa que a resposta a essa demanda da liga italiana não levaria muito tempo a chegar.

Na França, o sucesso no achatamento da curva de contágio e na capacidade dos leitos levou a um desconfinamento gradual desde 11 de maio, e a liberação de eventos esportivos com público limitado é a barreira mais recente a ser superada.

No que pode ser visto como um primeiro teste para como será o futebol a portões “semifechados”, o amistoso entre Le Havre e PSG, no domingo, contou com público de 4.980 pessoas, que tiveram que respeitar as regras de distanciamento dentro do Estádio Océane, com capacidade para pouco mais de 25 mil pessoas.

Ministra do Esporte da França, Roxana Maracineanu comemorou o retorno do público no jogo dos parisienses e disse que, em 18 de julho, uma revisão seria feita para saber se o limite atual de cinco mil pessoas poderia ser alterado, de forma que seja relativo para cada estádio, “uma porcentagem de pessoas presentes em relação à área” das arquibancadas e do restante das instalações de acolhimento.

Observando dados das últimas duas semanas, a Itália vive atualmente situação mais controlada no número de novos casos. No último dia com informações divulgadas por ambos os países, 10 de julho, o número de novos casos na França foi de 748, contra 276 na Itália. O número é relevante, considerando que os italianos têm capacidade de testagem maior que os franceses (98.625 por milhão contra 21.211 por milhão).

Embora a Lega Serie A não tenha revelado detalhes de seu protocolo ou de seus planos, um retorno dos torcedores aos estádios provavelmente aconteceria em capacidade parecida ao visto na França, seja no número absoluto (5.000) ou na ideia de um número proporcional à área de cada local.