O sorteio da Liga Europa ofereceu um “clássico transnacional” em sua fase de grupos. Malmö e Copenhague não possuem um grande cartel de confrontos entre si e nunca haviam se encarado por uma competição da Uefa. Entretanto, há uma rivalidade que perdura entre os clubes. Mesmo em países diferentes, as cidades são separadas por uma travessia de 12 quilômetros, que pode ser realizada através de uma ponte e de um túnel. Além disso, existe também um histórico de confusão entre as torcidas. Assim, com provocações nas arquibancadas, os vizinhos se enfrentaram na Suécia, em partida que terminou com o empate por 1 a 1.

Geograficamente e culturalmente, Malmö e Copenhague possuem suas ligações. E há uma natural rixa entre suecos e dinamarqueses pela hegemonia regional. Em 2005, um jogo entre as equipes terminou em pancadaria nas arquibancadas do Estádio Parken, na Dinamarca. O duelo acontecia pela antiga Liga Real, torneio efêmero que envolvia os países escandinavos. O segundo gol do Malmö desencadeou uma confusão no setor visitante e os celestes apanharam da polícia dinamarquesa – segundo eles, sem motivos para isso.

Apesar dos protestos dos suecos contra a truculência policial, o presidente do Copenhague fez pouco caso do episódio e colocou a culpa nos vizinhos. Foi o suficiente para criar um ranço entre as torcidas, já que os suecos esperavam o apoio e as desculpas do clube dinamarquês. O próprio Malmö apoiou financeiramente seus torcedores no processo judicial contra a polícia, mas a falta de provas não permitiu que qualquer pessoa fosse responsabilizada. Quase 15 anos depois, a história permanece viva.

As autoridades suecas armaram um esquema especial para garantir a proteção dos torcedores nesta quinta e evitar qualquer embate com os 2 mil visitantes do Copenhague que viajaram a Malmö. E nas arquibancadas, como se esperaria em qualquer bom clássico, os dois lados fizeram o seu espetáculo.

A torcida do Malmö exibiu um mosaico feito com sinalizadores e também um bandeirão, ambos trazendo o número “1910”, ano de fundação da agremiação. Há uma referência à sua tradição e também uma provocação aos dinamarqueses. Os suecos afirmam que seus vizinhos são um “clube artificial” e que não possuem história. O Copenhague foi fundado em 1992, após a fusão de duas outras equipes locais. Já o setor visitante abriu um bandeirão no qual aparecia um Smurf sendo cozido num caldeirão. A cor do personagem tira sarro do Malmö. Além disso, uma faixa apontava que, mesmo sendo mais antigo, o time sueco é o lado mais fraco da rivalidade.

Dentro de campo, porém, a igualdade prevaleceu. O Copenhague abriu o placar no final do primeiro tempo, graças a um gol contra de Lasse Nielsen. Já no início da segunda etapa, o Malmö empatou com o veterano Markus Rosenberg. O tira-teima acontecerá do outro lado da ponte, no Estádio Parken. Os dinamarqueses dividem a liderança do Grupo B da Liga Europa, com quatro pontos, ao lado do Dynamo Kiev. Os suecos aparecem abaixo, com um ponto.