Senegal, Marrocos, Tunísia: Os africanos que se aproximaram da Rússia neste sábado

Rodada na África contou com vários resultados decisivos, além da classificação da Nigéria. Egito pode se garantir no domingo

A Nigéria foi a primeira seleção da África a confirmar seu lugar na Copa do Mundo de 2018, a despeito de ter sido sorteada no chamado “grupo da morte”. O Egito também ficou quase lá, ajudado pelo empate entre Uganda e Gana, dependendo apenas de uma vitória sobre o Congo-Brazzaville neste domingo, em Alexandria. Enquanto isso, outras três seleções irão para a última Data Fifa bem mais próximas do Mundial. Os resultados deste sábado acabaram sendo decisivos a Senegal, Marrocos e Tunísia.

Dentre estes, a situação mais cômoda é a da Tunísia. As Águias de Cartago precisam apenas de um empate na rodada final, quando recebem a lanterna Líbia. Neste sábado, os tunisianos eliminaram a Guiné em Conakry, com goleada por 4 a 1. O resultado elástico, porém, maquia as dificuldades do jogo. Os guineenses saíram em vantagem, com Naby Keita, enquanto a virada só saiu depois dos 38 do segundo tempo. O destaque da noite foi o maestro Youssef Msakni, autor de três tentos. Três pontos atrás, a única ameaça à Tunísia é a República Democrática do Congo, que derrotou a Líbia por 2 a 1. Para retornar ao Mundial, os congoleses precisam vencer Guiné e torcer pela derrota dos tunisianos, marcando mais gols que os seus concorrentes.

No Grupo C, a última rodada guardará um confronto direto. E Marrocos terá a chance de tirar a Costa do Marfim da Copa após três participações consecutivas. Os Elefantes se complicaram com o empate sem gols na visita ao Mali. Já os marroquinos cumpriram sua parte ao baterem o Gabão por 3 a 0 em Casablanca. Khalid Boutaïb foi o responsável por todos os tentos, com uma tripleta. Um ponto à frente dos marfinenses, Marrocos vai à Costa do Marfim em novembro, precisando apenas segurar o empate para retornar ao Mundial após 20 anos.

Por fim, no embolado Grupo D, Senegal encaminhou a sua classificação. Os Leões de Teranga foram à cidade de Praia pressionados, precisando vencer Cabo Verde. Conseguiram arrancar o triunfo importantíssimo por 2 a 0, com dois gols no final. Diafra Sakho abriu o placar aos 36 do segundo tempo, aproveitando rebote do goleiro Vózinha. Já o golpe de misericórdia aconteceu nos acréscimos, em um lance um tanto quanto bizarro. A defesa dos Tubarões Azuis tentou sair jogando, carimbou o árbitro e a bola sobrou para Cheikh N’Doye, que acertou um chutaço de fora da área. Na outra partida da rodada, a África do Sul atropelou até então líder Burkina Faso por 3 a 1. Destaque para Percy Tau, que fez o primeiro tento e deu uma assistência fantástica de calcanhar no terceiro.

Senegal lidera com oito pontos, mas possui um jogo a menos. A Fifa ordenou que o confronto com a África do Sul no primeiro turno fosse jogado novamente em novembro, depois que o Tribunal Arbitral do Esporte baniu do futebol o árbitro Joseph Lamptey por manipulação de resultados. Na ocasião, os Bafana Bafana haviam vencido em Polokwane por 2 a 1. Caso vença um de seus dois últimos jogos contra os sul-africanos ou empatem ambos, os senegaleses se classificam à Copa. Dois pontos atrás, Burkina Faso e Cabo Verde secam os Leões de Teranga, tentando fazer sua parte no confronto direto em Ouagadougou. Já a África do Sul, com quatro pontos, também depende apenas de si, caso vença as duas partidas.