A história em si não é grande coisa… Não fosse a quantidade de emoção e insensatez envolvida. Paixão? Amor? Vontade? Hoje são apenas sinônimos para falta de coerência, de planejamento, de organização, de gestão e de tantos outros predicados característicos do bem sucedido e sereno futebol do século XXI. Em muitos casos é verdade. Em alguns poucos não é. A transferência malograda do argentino Miralles para a Universidad de Chile é “um dos que não é”… Ainda bem!

Encostado no Grêmio desde o final do ano passado, Ezequiel Miralles, o badalado Ezequiel Miralles de outrora, viu suas chances de sucesso no tricolor diminuírem drasticamente com a contratação da dupla Kléber e Marcelo Moreno. Em 2012 – em que se pese o fato de estar machucado – Miralles além de não ser opção, sequer é “falta de opção”, já que Caio Júnior tem peças para montar um ataque diferente com seus dois centroavantes e mais André Lima e o garoto Leandro. Com todo esse pano de fundo e convivendo com a evidente frustração de ter deixado de ser ídolo do Colo-Colo para esquentar banco no Brasil, era de se esperar que Miralles estivesse aceitando de bom grado qualquer oferta que lhe fizessem.

Pois essa oferta veio. E não foi qualquer uma. Foi A oferta. Uma proposta de contrato do melhor time da América do Sul em 2011: a encantadora Universidad de Chile, campeã nacional e da Copa Sul-Americana. Um time técnico, envolvente, rápido e que é tido como um dos favoritos à conquista da Libertadores deste ano. Não haveria porquê dizer não a uma oferta dessas não é mesmo? Quem não gostaria de ser o “grosso” que empurra a bola pra dentro em um timaço destes?

E La U precisa desta peça. O antigo centroavante, Gustavo Canales, deixou o clube para faturar no futebol da China. Eduardo Vargas, que até poderia se encaixar por ali, foi para a Itália. Sem um camisa 9 de ofício os azules têm se virado com jogadores franzinos e mais técnicos, sacrificando uma parcela de seu bom futebol para que a parte tática funcione de forma adequada. Sendo assim, Miralles cairia muito bem no time, não é?

Para os torcedores não. Para o próprio Miralles também não. Por quê? Pura e simplesmente porque esta não foi uma decisão baseada em lógica. Tão logo a especulação surgiu, milhares de torcedores de La U começaram a se manifestar contra a chegada do atacante. O motivo não poderia ser outro: Miralles era/é ídolo do Colo-Colo, maior rival da Universidad de Chile, e isto basta. Romanticismo demais? Pode ser, mas, para o apaixonado pelo clube, isso não importa.

Depois de cogitar uma eventual transferência, Miralles, por sua vez, entendeu o que aquilo representaria. Se aceitasse a oferta teria que, além de conviver com a pressão de uma massa de descontentes em seu próprio time, perder o status de ídolo de um dos maiores clubes do futebol sul-americano. Sendo assim, declarou que ouviu a proposta e que a rechaçou, frisando que só voltará ao futebol do Chile para defender ou o Everton, clube em que jogou entre 2008 e 2009, ou o próprio Cacique.

Claro que divergências de salários e ofertas podem ter entrado na jogada, mas o fato é que a razão primordial acabou sendo exatamente a vontade dos torcedores da Universidad e do jogador. Insensato, ilógico, amador… Tudo isto e mais um pouco, mas a verdade é que esta tal de paixão e identificação com o clube, por mais depurada que possa estar neste caso, ainda é fantástica. Às vezes a gente esquece, mas no fim, bem no fim, ainda é o sentimento que move o futebol.

Tuitadas da Libertadores

Grupo 1: Inter passou fácil pelo Juan Aurich, que abusou da violência e que deve se dar por satisfeito pelo revés de apenas 2 gols. Jogo contra o The Strongest será crucial

Grupo 2: O Olimpia foi até Guaiaquil e levou um baile do Emelec. Os equatorianos dominaram bem a posse de bola, enquanto o Decano só foi perigoso nas bolas paradas

Grupo 3: Grande resultado do Bolívar fora de casa contra a Católica. Unión Española foi mortal em seus domínios, mas o Junior também decepcionou

Grupo 4: Fluminense começou muito bem, mas aos poucos se perdeu e quase empatou um jogo no qual um tropeço poderia ser fatal

Grupo 5: Aplicadíssimo na parte tática, o Nacional arrancou uma vitória fora de casa e largou muito bem na briga. O Libertad titubeou, mas se impôs e bateu o Alianza

Grupo 6: Dono da posse de bola, o Cruz Azul controlou boa parte do confronto contra o Nacional-PAR fora de casa. Grande disparada dos mexicanos

Grupo 7: Apesar de um bom começo, o Defensor não foi páreo para a qualidade do Vélez. Já o Deportivo Quito merecia a vitória contra o Chivas no México.

Grupo 8: Sem jogos até o momento

Mais chilenas

– No Apertura chileno a Unión Española lidera, com duas vitórias em dois jogos. Os hispanos fizeram 6 a 1 no Cobresal e se isolaram na ponta. A Universidad de Chile bateu o Deportes La Serena por 3 a 1, a Universidad Católica perdeu por 2 a 1 para o Santiago Wanderers, enquanto o Colo-Colo bateu o O'Higgins por 1 a 0.

– A tabela do Apertura tem a Unión Española com seis pontos. Na segunda posição estão Rangers, Colo-Colo e Huachipato, com quatro pontos. Universidad de Chile e Cobreloa vem na sequência, com três pontos, mas fizeram apenas um jogo.

Equatorianas

– No Equador a rodada inaugural do Primera Etapa foi do Barcelona, que bateu o Deportivo Cuenca por 3 a 1 e lidera o torneio. Emelec, Independiente José Terán, LDU e Macará também venceram e dividem a liderança com três pontos.

Colombianas

– Depois da ótima vitória por 4 a 0 contra o Deportivo Cali, o Atletico Nacional não foi bem na segunda rodada e perdeu por 1 a 0 para o Itagüi. Melhor para o Tolima, que venceu o Santa Fe, lidera e mantém os 100% de aproveitamento no Apertura 2012.

– Na sequência da tabela aparecem Atlético Huila, Real Cartagena, Itagüí e Atlético Nacional.  

– O Once Caldas decepciona neste início de torneio. Depois de empatar por 2 a 2 com o Real Cartagena, o blanco blanco perdeu por 2 a 1 para o Deportivo Cali – justamente o goleado por 4 a 0 na abertura do campeonato. Para piorar, três jogadores foram acusados de estuprar uma mulher. Pajoy, Cuero e Rivas se disseram inocentes, mas novas investigações ainda serão feitas.   

Venezuelanas

– Imbatível há 22 jogos. Este é o Deportivo Lara que não perde desde a penúltima rodada do Clausura 2011, tendo neste período engatado 17 jogos de invencibilidade na campanha que culminou com a conquista do Apertura 2011. Em 2012 o rojinegro já emendou três vitórias no Clausura e lidera com nove pontos. A última vítima foi o Zamora, que perdeu por 3 a 1.

– Na cola do Deportivo Lara está o Mineros, que empatou por 2 a 2 com o Yaracuyanos e tem sete pontos em três jogos. Em terceiro lugar está o Llaneros de Guanare, também com sete pontos, mas com quatro jogos, mesma situação do Zamora, que é o quarto.

Bolivianas

– Passadas quatro rodadas do Clausura boliviano, o Nacional Potosí lidera com 10 pontos, após vitórias sobre o La Paz e o rival Real Potosí. Em segundo está o San José com oito pontos após triunfo sobre o Real Potosí e empate com o Aurora. Blooming e Oriente Petrolero completam os quatro primeiros.
– O The Strongest vai mal no começo do campeonato. Em quatro jogos são apenas quatro pontos. O Bolívar também tem quatro pontos apenas, mas em dois jogos.

Paraguaias

– Seis vencedores e, por consequência, seis derrotados. A primeira rodada do Apertura 2012 do Paraguai não registrou nenhum empate, mas algumas surpresas. O Cerro Porteño, que só tem o paraguaio neste primeiro semestre, perdeu para o Sportivo Luqueño por 2 a 0. O Nacional foi derrotado pelo Libertad por 1 a 0. Já o Olimpia sofreu, mas bateu o Sportivo Carapeguá por 3 a 2.

– A tabela tem seis times na liderança, mas o Sol de América está na ponta pelo saldo de gols, depois de fazer 4 a 1 no Cerro Presidente Franco. Guaraní, Sportivo Luqueño, Olimpia, Libertad e Rubio Ñu são os outros “primeiros colocados”

– O Cerro Porteño anunciou a contratação do atacante Santiago Salcedo, que estava no Lanús. Ele chega ao custo de 2 milhões de dólares e deve formar dupla de ataque com o argentino Roberto Nanni.

Peruanas

– O Universitario de Deportes bem que tentou, mas a Associação Peruana de Futebol disse que não vai adiar o início do campeonato Descentralizado 2012. O pedido foi feito em razão das dívidas que o Universitario e outros clubes do país têm com seus atletas. Caso as pendências não sejam regularizadas, os clubes podem sofrer punições, como a perda de jogos sem que nenhum dos dois times entre em campo.

– Dessa maneira o Descentralizado 2012 começa no dia 18 de fevereiro

– O Alianza Lima não conseguiu inscrever o meia Fernando Meneses na Libertadores. A Federação Chilena diz que ele ainda tem um contrato válido com a Universidad Católica.
Uruguaias

– Enquanto não começa a temporada 2012, os clubes uruguaios seguem na disputa do Torneo Preparación. Nesta sexta-feira o Torneo de Honor, que reúne os oito piores dos 16 times, tem sua decisão com Fénix e Danúbio. A final do grupo principal ocorre no domingo: River Plate e Peñarol.

– Também enquanto não começa o Clausura, o técnico da seleção, Oscar Tabárez, aproveita para visitar alguns clubes da primeira divisão. O treinador observa alguns atletas sub-23 e já encaminha com os clubes a convocação de jogadores para períodos de testes. Tudo visando às Olimpíadas de 2012.