A torcida do Corinthians não poderá assistir aos jogos do time no estádio do Pacaembu nas próximas partidas da Copa Libertadores. A Conmebol puniu o clube a jogar com portões fechados pelo incidente em Oruro, quando um garoto de 14 anos morreu com um sinalizador que acertou seu olho, supostamente atirado pela torcida do Corinthians. As autoridades bolivianas detiveram 12 torcedores do clube, dos quais seis já foram liberadores pelas autoridades.

A Conmebol divulgou a punição na noite desta quinta-feira, o que fez o site da entidade ficar fora do ar. Além de ter que jogar com os portões fechados, o Corinthians não poderá ter torcedores visitantes nos jogos fora de casa. A punição irá durar até o fim da investigação da polícia. No comunicado, a Conmebol deu prazo máximo de 60 dias. Segundo informou Néstor Benítez, porta-voz da Conmebol, o Corinthians tem até três dias para apresentar a sua defesa.

Os torcedores do San Jose e do Corinthians entraram com sinalizadores em campo, algo que é proibido pelo regulamento da Conmebol. O presidente do Corinthians, Mario Gobbi, declarou na tarde desta quinta-feira que acreditava que o incidente teria sido acidental e que o clube não tinha responsabilidade pelo ocorrido. Mais de 100 mil ingressos já tinham sido vendidos para os jogos do Corinthians em casa na primeira fase da Libertadores.

O Corinthians está no Grupo 5 da Libertadores, junto com San José, Millonários e Tijuana. O primeiro jogo do Corinthians em casa está marcado para o dia 27 de fevereiro, na próxima quarta-feira no Pacaembu, às 22h. Na rodada seguinte o Corinthians joga contra o Tijuana, no México, no dia 6 de março. No dia 13 de março, pela quarta rodada, o Corinthians recebe os mexicanos no Pacaembu. Depois, enfrenta o Millonarios, na Colômbia, no dia 3 de abril. Por sim, o time fecha a participação na primeira fase com um jogo no Pacaembu no dia 10 de abril, contra o San José.