Você acredita no Muricy?

por Alexandre Matos*

Peço desculpas por antecipação aos tricolores por dar palpite na seara alheia, mas talvez alguém concorde comigo. Eu tenho raiva deste cidadão. Muricy Ramalho era o técnico que não rasgava contratos. Só saía de um clube demitido. De repente, sem maiores explicações, pede o boné e larga o Fluminense na mão, a uma semana de um jogo de vida e morte na Libertadores. Vai embora culpando a (falta de) estrutura do clube, este que é pródigo em demissão de treinadores. Você acredita no Muricy?

Disse ele que aceitou o compromisso com o Fluminense devido a duas promessas feitas pelo então presidente Roberto Horcades no ano passado: um time em condições de brigar pelo título brasileiro e estrutura para trabalhar. Como o clube forneceu apenas a primeira parte, o técnico resolveu pedir demissão dizendo que o Fluminense não respeitou o acordo integralmente. Ele achou que cria-se estrutura de um dia pro outro. Você acredita no Muricy?

A Unimed patrocina o Flu desde 2000, se não me engano, quando o clube estava no fundo do poço mais fundo que eu já vi, saindo da terceira divisão daquele jeito que todos lembramos bem. A empresa nunca colocou um centavo sequer em estrutura, todo o dinheiro sempre foi despejado em contratações e salários de jogadores do time profissional de futebol. A partir de 2003/2004, na fixação do patrocinador-torcedor por ganhar títulos, o montante foi aumentando em progressão geométrica até chegar aos pornográficos valores despejados no elenco atual (inclusive no técnico). Em paralelo, amigos meus que jogaram na base do clube dizem que Xerém está entregue às traças. Da sede das Laranjeiras ninguém precisa me falar, eu malhei na academia do clube por dois anos e conheço muito bem a situação precária do belo clube. Tem mais de 10 anos que funciona deste jeito nas Laranjeiras. Isso é novidade para alguém?

Muricy acreditou que a “Flunimed” investiria em estrutura em vez de trazer Beletti e Deco? Faça-me o favor, né? O treinador estava desempregado e a Unimed chegou com um caminhão de dinheiro. É óbvio que ele aceitaria e é claro que não condicionou a investimentos em estrutura. Pode até ter pedido sim, mas duvido que tenha feito disso uma condição sine qua non. Só se ele for muito trouxa, coisa que acredito piamente não ser o caso. Depois ele negou uma proposta da CBF para treinar a seleção nacional, meta de 11 em cada 10 profissionais. Alegou que não rasgaria o contrato com o Flu. Você acredita no Muricy?

O Santos, com os dois melhores jogadores do Brasil (na minha opinião), está sem técnico. Muricy tem casa no litoral. O Santos tem centro de treinamento e quer ganhar o campeonato brasileiro. O Santos vendeu um monte de jogador e tem dinheiro para oferecer a um treinador de ponta um contrato ainda mais vantajoso que o atual. Posso me precipitar, mas podem esperar nos próximos dias o acerto do clube com o treinador. Pra piorar, nesta segunda eu descubro que o treinador confidenciou ao Milton Neves que rejeitou a proposta da CBF por dinheiro. Você acredita no Muricy?

A esta altura os leitores devem pensar que eu sou louco falando mal do treinador eleito o melhor do Brasil dos últimos anos pela CBF. Pois vejamos, nem vou entrar no mérito do Muricy ser mal educado (se o Felipão faz, é cretino. Se o Muricy faz, é o jeito dele). Reparem no retrospecto dele na Libertadores e Sul-americana, para poder entender melhor o que eu penso deste cidadão. Empatou as duas, perdeu nos pênaltis e foi eliminado pelo Boca em 2004 dirigindo o São Caetano. No fim do ano, novamente o Boca no caminho na semi-final da Copa Sul-americana, desta vez pelo Internacional. Levou de 4 fora e empatou no Beira-Rio. Já no São Paulo, perdeu a final da Libertadores de 2006 pro então rival Inter em casa, diante de mais de 70.000 torcedores. Neste caso nem dá pra discutir, se não ganhou em casa, ganharia fora nunca. Em 2007 bateu no tradicional um a zerão o Grêmio no Morumbi. Foi pro Olímpico, levou 2 a 0 nas costas e ficou pelo caminho. Em 2008 repetiu-se a história: 1 a 0 magro contra o Flu no Cícero Pompeu de Toledo, 3 a 1 contra no Mário Filho e mais uma vez lá se foi Muricy Ramalho chorar na cama as mazelas do mata-mata. Em 2009 apanhou em casa e fora do Cruzeiro, levou dois bailes e novamente nem deu chance pra “sorte”. É, Muricy, a bola não só pune os desorganizados, mas os covardes também.

Mas estaria eu dizendo que um cara que ganhou 4 dos últimos 5 Brasileiros não tem méritos? Claro que tem. Eu só não os aprecio. Num campeonato de pontos corridos você pode ganhar de 1 a 0 de um rival grande e perder de 2 a 0 do mesmo fora. Desde que, contra os pequenos, seu time não largue pontos idiotas. E este é o grande mérito do Muricy. Com aquele esquema feio, de antijogo, de quem não gosta de futebol, com chutão e bolas cruzadas na área o tempo inteiro, fazendo um gol e se defendendo a todo custo. Mas dá certo em pontos corridos. Repare que dificilmente os times dirigidos por ele no Brasileiro entregam pontos como o Corinthians fez em 2010, quando não venceu os rebaixados Vitória e Goiás (este já até estava rebaixado e o jogo valia o título para o Corinthians) nas rodadas finais. No confronto direto, o Corinthians venceu o Flu em São Paulo e no Rio em 2010. O Grêmio venceu o São Paulo no Olímpico e no Morumbi em 2008. A diferença é que no mata-mata o Muricy não tem o jogo contra as babas para garantir os 3 pontos que fazem diferença no final das contas. Ali é mano a mano contra outro grande. E normalmente ele dança nestas situações.

Aliás, “bolas cruzadas na área” é outro mérito do Muricy. Ele sabe se aproveitar de uma deficiência crônica e histórica do futebol brasileiro e muito difícil realmente de ser marcada. Basicamente transforma seus times numa máquina de fazer isso. O São Paulo jogou feio assim por quase quatro anos. O Palmeiras também, do mesmo modo que ia o Fluminense. De vez em quando dá certo, pelo menos nos pontos corridos. Mas isso significa que só é possível vencer um campeonato com este modelo do modo cachorro e covarde que o Muricy faz? Vanderlei Luxemburgo ganhou em 2003 e 2004 fazendo Cruzeiro e Santos jogarem bem, bonito e pra frente. Andrade fez o mesmo com o Flamengo em 2009. Até o Corinthians sem comando – mas com um timaço – fez em 2005. Só dois clubes ganharam o Brasileiro de pontos corridos jogando um futebol feio e pragmático. Os dois treinados por este cidadão.

Você acredita no Muricy? Eu não.

?

*Alexandre é flamenguista e mantém o www.mma-brasil.com.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo