Villanueva: a nova esperança do Chile

Nos últimos anos o futebol chileno tem revelado meio-campistas talentosos. Nessa nova geração de bons meias se destacam “El Mago” Valdivia, do Palmeiras, Matías Fernández, do Villarreal e Luís Jimenez, da Inter de Milão, só para citar os que atuam em grandes centros do futebol mundial.

O próximo nome dessa lista deve ser o de Carlos Villanueva, do Audax Italiano, maior revelação do Chile em 2007. Canhoto, habilidoso e goleador, “Carlitos”, como é conhecido, teve um ano espetacular. Apesar de não conseguir o tão sonhado título nacional que acabaria com os 50 anos de jejum do Audax (o clube foi eliminado nas semifinais do torneio Clausura pelo Universidad de Concepcion), ele ganhou projeção nacional e internacional.

Foi o artilheiro do Torneio Clausura do Campeonato chileno, com 20 gols e eleito por jornalistas o melhor jogador do país em 2007. O jogador também esteve presente na “seleção das américas”, tradicional eleição realizada anualmente pelo jornal uruguaio “El País”, que escolhe os melhores jogadores que atuam no continente.

Além disso, Villanueva se firmou na seleção chilena. Ele foi o principal destaque da equipe na Copa América, apesar da campanha do Chile ter sido um fiasco, culminando com a saída do treinador Nelson Acosta e a chegada do argentino Marcelo Bielsa. O atleta continuou prestigiado com o novo técnico, sendo convocado para os primeiros jogos das Eliminatórias sul-americanas.

Se ele ainda não conta com a popularidade de Valdivia ou Matías Fernández no Chile, deve-se ao fato de jogar em um time pequeno, enquanto os outros dois foram ídolos no Colo-Colo. Porém, parece ser questão de tempo “Carlitos” se tornar unanimidade nacional.

Destaque no Audax

Villanueva, de 21 anos, começou a carreira profissional no pequeno time do Deportes La Serena, em 2003. Nesse mesmo ano, ajudou a equipe a subir para a primeira divisão do Campeonato Chileno. No ano seguinte ele foi contratado pelo Audax Italiano. O meio-campista começou a ganhar destaque quando foi convocado para disputar o Mundial sub-20 de 2005, na Holanda. Mas foi em 2006 que o jogador se tornou ídolo em seu clube. Ele foi o principal destaque do time do Audax que chegou à final do Torneio Clausura, perdendo para o Colo-Colo.

Villanueva começa o ano de 2008 valorizado e com o interesse de grandes clubes em seu futebol, como Palmeiras, River Plate, San Lorenzo e até o Real Madrid. A diretoria do Audax Italiano promete mantê-lo pelo menos até o meio do ano, pois quer o atleta para a disputa da Libertadores. Todos sabem, porém, que o futuro do jogador está no futebol do exterior. Esse é o maior objetivo de “Carlitos” para esse ano, juntamente com o de se tornar titular na seleção de Bielsa.

Essa última meta pode ser facilitada pela suspensão de dez jogos imposta pela Federação Chilena de Futebol a Valdivia por indisciplina durante a última Copa América. Portanto, Villanueva tem a missão de mostrar serviço nos próximos jogos para se firmar como titular da seleção nacional.

Bielsa, aliás, conta com a evolução dos jovens da nova geração e com a experiência do veterano Marcelo Salas para levar o Chile de volta a uma Copa do Mundo depois de 12 anos. Se isso acontecer, Villanueva tem tudo para ser, de fato, um ídolo nacional.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]la.com

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo