Times da MLS na Libertadores?

Em um post na sua página oficial no Facebook, a Libertadores trouxe à tona uma discussão velha, mas sempre interessante: os times dos Estados Unidos deveriam disputar a Copa Libertadores? O post fala de uma entrevista de Nicolás Leoz ao Lance!, em 2010, quando o presidente admitiu a possibilidade de ter times norte-americanos no torneio. “Gostaria de criar uma Libertadores com equipes dos Estados Unidos. O nível de futebol norte-americano aumentou. A porta está aberta”, disse o dirigente, na época. A previsão era que os times da MLS integrassem a Libertadores em 2012, o que sabemos que não irá acontecer. A discussão, porém, continua quente.

É o caminho natural de uma unificação entre a Concacaf e a Conmebol, tornando o torneio uma competição das Américas. Há, é claro, grandes interesses comerciais que isso aconteça, já que os Estados Unidos seriam um mercado que os clubes sul-americanos gostariam de explorar e têm potencial para ter mais ligação do que clubes europeus, por exemplo, pela proximidade com o público latino.

Para os clubes sul-americanos, essa seria uma das maiores vantagens, já que clubes como Boca Juniors, Santos, Corinthians, Univerisdad de Chile, Colo Colo, LDU e outros poderiam ter, na competição, uma forma de internacionalizar a marca com um torneio muito atrativo aos olhos dos norte-americanos.

Os clubes da MLS poderiam se beneficiar da competitividade e do bom nível técnico do confronto com os sul-americanos, potencialmente fazendo com que os clubes da liga evoluam ainda mais. Além, claro, do dinheiro da premiação e das cotas de TV, sempre atraentes para um enorme mercado de todas as Américas.

As desvantagens, porém, também existem. Apesar da evolução da MLS, a liga ainda está mutio abaixo das principais competições nacionais da América do Sul. Vide o que acontece na Concachampions, o torneio continental da Concacaf, que tem o México dominando amplamente os Estados Unidos – ainda que, nesta temporada, os times norte-americanos tenham conseguido vencer pela primeira vez no território mexicano.

Além disso, há outro problema grave: o calendário. A MLS é disputada de Março a novembro, enquanto a Libertadores começa sua fase preliminar em janeiro e dura, usualmente, até junho. Assim, a MLS precisaria adaptar o seu calendário ao modelo sul-americano.

Outro problema são as viagens. As distâncias são grandes, o que poderia ser um entrave para, por exemplo, o Corinthians viajar até Los Angeles para enfrentar o Galaxy. Porém, a viagem seria menos desgastante do que para o Deportivo Táchira, que fica em San Cristóbal, um local de difícil acesso. A maioria dos clubes da MLS que participariam da Libertadores são de grandes cidades, com aeroportos internacionais. Então a distância, ainda que seja um problema, não é algo que impeça a participação dos norte-americanos.

Outro problema é que os principais times da MLS jogam a Concachampions, assim como acontece com os mexicanos. Assim, a Libertadores é uma espécie de competição secundária. Neste modelo, os mexicanos acabam muitas vezes dando de ombros para a Libertadores quando estão na disputa pelo título nacional. Assim, acaba sendo ruim para os sul-americanos. O ideal seria que tanto mexicanos quanto norte-americanos abrissem mão da participação na Concahcampions e disputassem o título da Libertadores e a consequente vaga no Mundial. Mas isso só seria possível com a unificação entre as duas entidade.

Pode ser o início de uma fusão entre a Concacaf e a Conmebol que pode respingar nas seleções. Ao invés de Copa América e Copa Ouro, Copa das Américas, com todas as seleções do continente. Ao invés de eliminatórias sul-americanas e da América do Norte e Central, teríamos as eliminatórias das Américas. Já imaginou?

E você, o que acha sobre a participação dos times da MLS na Libertadores?

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo