Terça-feira dos trogloditas

Senhores, essa foi a tarde deles, os trogloditas (no melhor sentido da palavra, vale ressaltar). Aqueles atacantes que balançam o tempo todo na corda bamba entre o bestial e o ridículo, entre a consagração e o estigma de bonde. Jogadores que têm na canela um recurso a mais para conduzir seus times à vitória. Jogadores como Mario Gómez e Brandão.

Gómez simplesmente pulverizou o Basel. Fez quatro gols, dois de pé esquerdo, um de pé direito e outro de cabeça. E só não fez o de calcanhar porque aí, convenhamos, seria uma trapaça da natureza (não como o Messi foi chamado um dia, mas seria). Aproveitou a grande jornada de Ribéry e Robben, a fragilidade do adversário e se aproximou do próprio Messi na artilharia da competição. Soma dez, contra 12 do argentino.

Brandão fez um. Só um, e bastou. Foi o gol que eliminou a Internazionale em Milão, aos 46 do segundo tempo, acabando com o tormento de um jogo que, de tão ridículo que foi, não merecia nem prorrogação. Aproveitou falha de Lúcio e mostrou que pode acertar o gol em alguns momentos, coisa que pouco fez em suas passagens por Cruzeiro e Grêmio. Conhecido nos guetos de Marselha como o “único brasileiro que não sabe driblar” (o que é uma injustiça), sai como herói.

Aos eliminados, resta o choro. Mas o Basel, que tomou de 7, sai de cabeça erguida. Eliminou o Manchester United e vai fazer uma boa grana vendendo metade do time. A Inter, que ganhou o jogo, não tem nada de positivo para levar dessa Liga dos Campeões. Envelhecida, sem forças e com um técnico que botou o time para trás nas alterações. E não há perspectiva de melhora em curto prazo.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo