Revolução Verde

O final da 11ª rodada nos deu um novo líder, o Coritiba. O clube paranaense tem a melhor sequência de resultados de toda a Série B. Após perder na estreia para o Náutico, o Coxa não sofreu nenhuma outra derrota na competição, sendo três empates e oito vitórias. O segredo de tudo isso tem sido jogadores híbridos, que atuam em várias posições e uma relação de confiança entre técnico e clube.

O técnico Ney Franco estava no comando do Coxa, quando o clube foi rebaixado na Série A do ano passado. A cultura brasileira diria que ele deveria partir, mas a diretoria coxa-branca deu um voto de confiança e fez com que o técnico tivesse mais autonomia na reconstrução do elenco. Medalhões que naufragaram na reta final foram embora e o mineiro de Campo Alegre se fortaleceu ao montar um time a sua imagem e semelhança: leve, veloz e com maturidade e sangue frio suficiente para se sair de situações complicadas, como ter que cumprir uma punição de dez jogos longe de casa. Em suma, o Coritiba tem um time talhado para se virar fora de casa e pode crescer muito mais quando voltar ao Couto Pereira.

A falta de jogadores em algumas posições tem sido superada pelos híbridos do Verdão, jogadores com características intermediárias e que se encaixam em vários lugares do 4-2-3-1 de Ney Franco. São a chave do sucesso do Coxa. Olhando a página do elenco do Alviverde, nós identificamos esses atletas. Dirceu, zagueiro, é volante de origem. Lucas Mendes, zagueiro, tem sido utilizado na lateral esquerda. Do meio para a frente, a falta de atacantes, por conta da saída de Ariel e da lesão de Bill, tem sido suprida pelos híbridos. Renatinho é meia, mas também atacante. O meia Ramon se vira bem como volante. Rafinha, Jefferson e Dudu são meias e também engrossam a lista de atacantes. Enrico é o canivete suíço de Ney Franco: meia, que pode ser usado de ponta e até de segundo volante, uma espécie do que era o polivalente Alan Smith no Man Utd há alguns anos. E o próprio Marcos Aurélio, atacante, faz o caminho contrário, mostrando-se um belo meia de velocidade no que pese suas poucas presenças por causa de uma lesão no final do estadual.

Assim, Ney Franco consegue mudar o time e se virar mesmo com poucas peças, muitas lesões e suspensões.A defesa da liderança será no sábado, dia 8 de agosto, no reencontro do Coritiba com a cidade de Curitiba e com o histórico estádio Durival de Brito e Silva, a Vila Capanema, no clássico Paratiba. O Paraná tem uma parcela na liderança do Coxa, pois demoliu o Náutico por 4 a 0 e impediu a retomada da ponta pelo Timbu. Será que o Coritiba é o próximo líder a ser derrubado pela Gralha Azul? Os outros estados que me perdoem, mas este clássico parece ser o mais interessante deste mês nas Séries A e B.

Pó de Guaraná

* O Vila Nova tomou uma medida enérgica para tentar sair da lanterna: demitiu Paulo Comelli e contratou Roberto Cavalo, figurinha carimbada da Série B. Ainda não basta, dentro do tal pacote de salvação que os times começam a fazer quando percebem a situação a perigo.

* A pausa para a Copa foi realmente um mau negócio para o América-MG. O Coelho segue acumulando revezes e perde espaço na briga pelo acesso.

* O Duque de Caxias segue numa boa arrancada e está fora da ZR. O Sport, vítima da 11ª rodada acena para um pacotão de contratações após Toninho Cerezo ter feito um ultimato à direção. É realmente ver um time que era apontado como um dos favoritos antes da competição estar distante um ponto da ZR e nove do G-4.

* Jogador destaque da semana: Reinaldo, atacante do Figueirense. Reinaldo da Cruz Oliveira Nascimento tem 31 anos e passou por clubes como Flamengo, São Paulo, Santos, PSG e Botafogo. Em sua estreia, ele fez o gol que salvou o Figueirense de uma derrota frente ao Bahia.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo