O melhor Corinthians

Uma temporada, quase nunca, pode ser contada em 90 minutos. O melhor da temporada corintiana, entretanto, esteve presente nesta quarta-feira no Morumbi. Em uma noite em que a Copa do Brasil viu um de seus favoritos, o Palmeiras, ficar pelo caminho, foi o Corinthians que arregaçou as mangas e em 29 minutos deu uma indiscutível demonstração de força sobre o Goiás. O torneio que leva seu vencedor direto para a Libertadores surge cada vez mais forte no horizonte alvinegro.

Com uma atmosfera sufocante e bastante favorável, 50 mil corintianos empurraram a equipe de Mano Menezes para a classificação. Em uma partida de alto nível físico, motivacional e taticamente próxima da perfeição, o Corinthians viveu o melhor momento do primeiro terço de sua temporada justamente no último dia do período.

Mano sabia que enfrentaria um adversário fechado e tratou de abrir espaços na defesa goiana. Com quatro homens na defesa, dois volantes presos, uma linha de três meias – com Lulinha à direita, Diogo Rincón ao centro e Dentinho à esquerda – e Herrera enfiado, o Corinthians entrou para buscar a classificação. O mesmo 4-2-3-1 que levou o Grêmio à final da Libertadores e Mano Menezes tentara trazer ao Parque São Jorge neste início de 2008.

A arrumação tática do treinador gaúcho claramente surtiu efeito. Foi pelos dois lados do campo que o Corinthians pressionou, encontrou espaços e fez jogadas de triangulação repetidamente. Lulinha esteve em boa noite e Fabinho lutou bastante, mas André Santos e Diogo Rincón foram ainda melhores – a dupla participou dos quatro gols da noite e chamou a responsabilidade.

A combinação de uma participação intensa da torcida, muita determinação dos jogadores, além de um trabalho irretocável da comissão técnica, fizeram o corintiano que foi ao Morumbi voltar a pensar grande. Isso já vale muita coisa. Ainda mais para quem logo estréia na Série B.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo