Sem categoria

Ninguém na Europa cobra faltas como Marcos Assunção

A temporada europeia ainda não acabou, mas já é possível cravar: nenhuma das grandes ligas do continente possui um batedor de faltas do nível de Marcos Assunção. O meio-campista não possui concorrentes que ao menos se aproximem de suas marcas. E, ao lado de outros pés calibrados, como Ronaldinho Gaúcho e Juninho Pernambucano, o palmeirense ajuda o futebol brasileiro a ter médias de gols de falta bastante superiores às registradas nas principais competições europeias.

Um gol de falta por rodada no Brasileirão

Em 2011, o Campeonato Brasileiro contou com 43 tentos em cobranças de falta batidas diretamente para as redes. Foram 25 jogos em branco até que Renato Abreu fizesse o primeiro deles, contra o Corinthians – em partida simbólica, que marcava a despedida de Petkovic. Depois deste, a competição manteve alta média de gols de falta: foram 1,13 por rodada.

Números consistentes e que estão longe de serem alcançados pelos clubes de Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália. Dentre os cinco campeonatos nacionais europeus, o total de gols de falta é parecido, variando entre 19 e 24. A média é ligeiramente superior apenas na Liga Espanhola, na qual são precisas dez rodadas para os cobradores acertarem o pé sete vezes.

No restante da Europa, a competição com os brasileiros também não é das maiores. O único campeonato nacional que se aproxima da média da Série A é o Ucraniano, com 1,03 gols de falta por rodada. Ainda assim, a quantidade de tentos é bem mais distribuída entre jogadores – somente um atleta marcou ao menos três gols do tipo em toda a temporada.

Marcos Assunção, bem à frente dos demais

Os números de Marcos Assunção durante o Brasileirão de 2011 são impressionantes. Em 34 partidas que disputou, o volante acertou sete cobranças de falta nas redes – o outro gol que anotou ao longo do torneio foi de pênalti. Bem atrás do palmeirense, Ronaldinho Gaúcho e Juninho Pernambucano dividiram a segunda colocação do ranking, com três gols de falta cada.

Já neste ano, Assunção continua como o melhor brasileiro no fundamento. Segundo dados da Footstats, o alviverde marcou seis gols de falta em 22 partidas disputadas, entre Campeonato Paulista e Copa do Brasil. O volante bate 2,55 faltas em direção ao gol por jogo, disparada a maior média entre os clubes da Série A. Léo Gago, segundo na lista, aparece com marca de 1,47, à frente de Ronaldinho (1,375) e Juninho (1,2), os únicos com mais de uma finalização em bolas paradas por jogo.

E nem mesmo na Europa aparece alguém que possa competir com o canhão do Palestra. Se compararmos o desempenho de Marcos Assunção a partir de agosto, quando começou a temporada europeia, são 13 gols de falta em 45 partidas (por Brasileirão, Sul-Americana, Paulista e Copa do Brasil).

Cristiano Ronaldo é quem mais aproxima e, mesmo assim, não chega nem a metade da marca do brasileiro. Segundo dados do site Transfermarkt, o camisa 7 do Real Madrid guardou seis cobranças de falta ao longo das 55 partidas que fez na temporada. Foram quatro com a camisa merengue – divididos entre Campeonato Espanhol e Liga dos Campeões – e outros dois pelos tugas.

Levando em conta apenas jogos pelo clube, o melhor europeu no quesito disputa o Campeonato Holandês. Meio-campista do AZ, Rasmus Elm acertou cinco tiros livre, todos eles pela Eredivisie. Logo na sequência, todos com quatro tiros precisos, aparecem Cristiano Ronaldo (Real Madrid, 51 jogos), Sebastian Larsson (Sunderland, 39 jogos), Santi Cazorla (Málaga, 37 jogos), Selçuk Inan (Galatasaray, 36 jogos) e Bernd Thijs (Gent, 26 jogos).

Clubes brasileiros usam mais a precisão de seus cobradores

Outra peculiaridade do Campeonato Brasileiro, quando comparado com as principais ligas nacionais europeias, é a quantidade de times que marcaram ao menos um gol de falta na competição. Na Série A de 2011, 16 dos 20 participantes contaram com ao menos um tento de tiro livre direto.

Palmeiras (7 gols, todos de Marcos Assunção), Flamengo (6 gols, divididos entre Ronaldinho, Renato Abreu e Botinelli) e Vasco (4 gols, divididos entre Juninho e Bernardo) formaram o pódio no quesito. Já em 2012, a primeira posição continua com os alviverdes. Além dos seis gols de Marcos Assunção, a equipe de Luis Felipe Scolari também contou com a precisão de Daniel Carvalho em uma ocasião.

O único dos torneios europeus a apresentar números similares é a Bundesliga, na qual 15 dos 18 times fizeram gols de falta na temporada. Ainda assim, a frequência de cada equipe é bem menor. O primeiro colocado no ranking é o Borussia Mönchengladbach, com três bolas na rede, todas elas guardadas por Juan Arango. Curiosamente, o campeão Borussia Dortmund não fez nenhum gol do tipo.

Em Espanha, França, Inglaterra e Itália, os líderes na especialidade competiriam apenas com o Vasco. Málaga, Sunderland e Lille somam quatro gols cada – na Serie A italiana, Palermo e Siena chegam apenas a três.  E a situação não muda tanto assim no restante do continente: AZ e Shakhtar Donetsk marcaram cinco tentos de falta até o momento.

Os melhores cobradores de falta da temporada europeia:

5 gols – Rasmus Elm (AZ)
4 gols – Cristiano Ronaldo (Real Madrid), Santi Cazorla (Málaga), Sebastian Larsson (Sunderland) e Selçuk Inan (Galatasaray)
3 gols – Fabrizio Miccoli (Palermo), Juan Arango (Borussia Mönchengladbach), Rubén Suárez (Levante), Bruno Grougi (Brest), Dries Mertens (PSV), Matías Gonzalez (Sporting), Keisuke Honda (CSKA Moscou), Xherdan Shaqiri (Basel), Alexander Farnerud (Young Boys), Ernest Nfor (Kortrijk), Julien Gorius (Mechelen), Mykola Morozyuk (Metalurh Donetsk) e Charlie Mulgrew (Celtic)

O Brasil comparado com as principais ligas europeias:

Brasileirão 2011 – 380 jogos, 43 gols – média de 0,113
La Liga – 340 jogos, 24 gols – média de 0,07
Ligue 1 – 330 jogos, 23 gols – média de 0,069
Premier League – 346 jogos, 23 gols – média de 0,066
Bundesliga – 288 jogos, 19 gols – média de 0,065
Serie A – 340 jogos, 22 gols – média de 0,064

Os números de Marcos Assunção nas primeiras 20 partidas de 2012*:

Gols de falta: 5
Finalizações em cobranças de falta: 51
Média de finalizações: 2,55 por jogo
Aproveitamento: 9,8% de suas cobranças no gol acabam nas redes

*Dados da Footstats até o dia 21 de abril. Não contabiliza os jogos contra Guarani e Paraná

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo