Kljestan: Pronto para jogar

A vitória por 3 a 2 dos Estados Unidos sobre a Suécia no do último dia 25 passaria despercebida caso os três gols dos donos da casa não tivessem sido marcados por um novato de 23 anos. Com os principais jogadores de ambas as equipes poupados, o amistoso disputado na Califórnia permitiu que o autor do hat-trick mostrasse ao mundo que já atingiu a maturidade e que pode ser um dos pilares da renovação da seleção norte-americana.

Para quem acompanhou a Major League Soccer nos últimos três anos ou assistiu aos jogos dos Estados Unidos nas Olimpíadas de Pequim, a atuação de Sacha Kljestan não foi nenhuma grande surpresa. É o caso, por exemplo, de clubes como Monaco, Olympiacos, Zenit St. Petersburg, Heerenveen, Bayer Leverkusen e Celtic, que demonstraram interesse pelo jogador em dezembro do ano passado. O meio-campista do Chivas USA chegou inclusive a ir para Escócia no meio de janeiro para realizar exames no Celtic.

O jovem de ascendência sérvia fez sua estréia na seleção principal dos Estados Unidos em 2 de junho de 2007. Kljestan deu passe para o gol de Benny Feilhaber que decretou a vitória sobre a China. Menos destacada foi sua participação na péssima campanha do time na Venezuela, neste mesmo ano, pela Copa América. Também esteve no elenco da seleção em jogos das Eliminatórias em 2008, mas quase não atuou.

Estilo de jogo

Por não ser primoroso no que diz respeito à técnica, principalmente pelo passe, fundamento que ainda precisa evoluir, o bom desempenho de Kljestan deve-se essencialmente ao ótimo preparo físico. O jogador chama atenção por correr os 90 minutos e aparecer em todos os espaços do campo. Sem descuidar-se de suas obrigações defensivas, chega frequentemente ao ataque.

Além da movimentação, o jogador destaca-se pela versatilidade. Kljestan tanto pode ser aproveitado como um volante ofensivo quanto como meia-armador pela direita. Recentemente tem jogado mais próximo dos atacantes, o que lhe dá mais liberdade para explorar sua principal característica. Por chutar com os dois pés, também transita com facilidade pelo lado esquerdo do gramado.

Formação

Kljestan nasceu na pequena cidade de Anaheim, na Califórnia, estado conhecido por ser o grande celeiro de talentos esportivos do país. Seu desenvolvimento com jogador, porém, deu-se em South Orange, New Jersey, e pode ser creditada ao sério trabalho de formação de atletas realizado nos colégios e universidades norte-americanas.

Depois de se destacar na Huntington Beach High School, Kljestan ingressou na Seton Hall University, onde defendeu o Seton Hall Pirates. Entre 2003 e 2005, colecionou prêmios e bateu recordes pela liga universitária. Nesse período, o jogador anotou 20 gols e 28 assistências nas 60 partidas que disputou. O desempenho lhe rendou a convocação para a seleção sub-20, pela qual disputou o mundial da categoria na Holanda. Apesar da eliminação nas oitavas-de-final para a Itália, o desempenho da equipe norte-americana foi surpreendente, tendo vencido e classificando-se à frente da então campeã Argentina na primeira fase da competição.

No ano seguinte, Kljestan participou do Generation Adidas e alçou sua transferência para a Major League Soccer. O programa de desenvolvimento de jovens talentos organizado pela MLS e pela U.S. Soccer também revelou o atacante Jozy Altidore na mesma temporada, além de Beasley, Tim Howard e Bocanegra em anos anteriores.

Na liga profissional

Antes de ser contratado pelo Chivas USA, Kljestan teve uma breve passagem pelo Orange County Blue Star, clube que disputa uma espécie de liga de desenvolvimento no país. Em sua primeira temporada na MLS, ainda em 2006, começou como titular em 31 dos 32 jogos que disputou e foi um dos finalistas do Rookie of the Year, premiação que escolhe os melhores estreantes da temporada. Com sete assistências para gols, o meia obteve o maior número do Chivas USA e o segundo entre os novatos da MLS.

Nas temporadas seguintes, Kljestan confirmou a habilidade para servir os atacantes. Em 2007, com 13 assistências, bateu o recorde do clube e foi o segundo na classificação geral da competição. Além disso, ajudou o time a ficar em primeiro lugar na conferência ocidental. Em 2008 teve ainda mais destaque e colecionou prêmios entre os quais estavam a Budweiser Golden Boot, pelos cinco gols marcados pelos Red-and-Whites e também as indicações para o All-Star Team e o MLS Best XI.

Seleção olímpica

Com a responsabilidade de ser um dos jogadores mais experientes da seleção sub-23, Sacha Kljestan comandou o time que conquistou o vice-campeonato do torneio Pré-olímpico da Concacaf ao lado do badalado Freddy Adu e garantiu a classificação para as Olimpíadas de 2008. Kljestan foi titular em quase todas as partidas e foi herói do jogo que garantiu a vaga olímpica, marcando duas vezes na semifinal contra o Canadá.

Em Pequim, Kljestan brilhou ainda mais que os companheiros Adu e Altidore, de quem muito se esperava. Ele foi o principal destaque da equipe que, apesar de eliminada na primeira fase, deu trabalho às favoritas do grupo. Marcando duas vezes nos três jogos dos Estados Unidos pela competição, o meia chamou atenção especialmente no empate por 2 a 2 com a Holanda e na derrota para a Nigéria por 2 a 1, que tirou o time da competição.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo