Kiessling: O futuro de Leverkusen está aqui

Na nova geração de jogadores alemães, há candidatos a ‘craque’ pintando em praticamente toda equipe. Mas não serão todos a poder brilhar no Nationalelf, que vive boa fase devido aos jovens talentos surgindo por todo o país.

Stefan Kiessling pode não ser craque de bola. Pode ser apenas um atacante meio grandalhão estilo Crouch. Mas seu começo como jogador e algumas de suas participações com a camisa de seu clube, o Bayer Leverkusen, dão a esperança dele tornar-se um dos ‘homem-gol’ da Alemanha em 2010.

Surge um matador?

Nascido em Lichtenfels, Kiessling surgiu no modesto Eintracht Bamberg, clube de divisões inferiores da Alemanha. Não demorou muito até ser descoberto pelo Nuremberg, onde passou a atuar a partir de 2002. Na temporada de estréia por Der Club, fez um simples jogo, entrando em uma derrota contra o Hamburg.

Inicialmente, jogava em posições do meio-campo, mas logo virou atacante e se deu muito bem na nova posição. Seu ápice jogando no Nuremberg foi sua última temporada pelo clube, quando foi titular em quase todo o campeonato e marcou dez gols – gols estes que o colocaram a caminho do Bayer Leverkusen e da seleção alemã.

De gols marcados a gols perdidos

Cerca de chr(128) 6 milhões foram pagos pelo Leverkusen para ter os serviços de Kiessling, na temporada 2006/7. O atacante Entrou como titular em diversos jogos da campanha na Bundesliga e na Copa Uefa. Mas fez poucos gols comparados sua temporada anterior: apenas sete.

Isso se deve, para alguns, a seu tipo físico considerado frágil (1,94m e 75kg), bastante suscetível a lesões. Outro motivo apontado seria algo além de seu faro para marcar: seu ‘faro’ para perder gols. Ou seja, se marcasse alguns gols a mais, estaria brigando pela artilharia da Bundesliga e seu time provavelmente estaria nas cabeças da competição.

Rumo à seleção

Junto com Podolski e Gomez, Kiessling é considerado uma das principais revelações de ataque no futebol alemão. Os gols que fez pelo Nuremberg o puseram na seleção sub-21 alemã, na qual estreou em 2005. Em 15 encontros com a seleção de base, marcou quatro gols, obtendo certo destaque no time agora comandado por Dieter Elits.

Mas o melhor ainda estava por vir. Em março de 2007, Kiessling recebeu sua primeira convocação para o Nationalelf. Foi para o amistoso contra a Dinamarca, quando os alemães saíram derrotados por 1 a 0. Entrou no lugar de Kevin Kuranyi, no segundo tempo.

Com as recentes contusões de jogadores de ataque (Gomez e, mais recentemente, Podolski), Kiessling tem grandes chances de obter vaga na Alemanha das próximas partidas das eliminatórias para a Euro-08, competição que espera disputar na metade do ano que vem.

Com as chuteiras erradas

Talvez o fato mais inusitado da carreira deste fã de basquete, Bryan Adams e comida italiana não foi um gol que marcou ou perdeu. Ele aconteceu em um jogo contra a Inglaterra, válido pelas eliminatórias do Europeu sub-21, em 2005.

Aconteceu assim: ao sair do hotel, o atacante estava tão apressado que esqueceu parte importante de seu uniforme por lá: as chuteiras. Só se deu conta ao entrar no estádio. Mas isso não foi problema para ele, que conseguiu emprestado um par de chuteiras do goleiro Michael Rensing, do Bayern de Munique.

Tudo estaria resolvido se ainda não houvesse um porém: as chuteiras de Rensing eram de tamanho inferior às de Kiessling. Mesmo com todo o incômodo, o atacante marcou o primeiro gol da partida (que terminou 2 a 2), mas teve de ser substituído depois por conta das dores que sentia no pé. Todos, especialmente Kiessling, esperam que isso não ocorra mais no futuro.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo