Khrin: Personalidade de veterano

Atual tetracampeã nacional e com um elenco qualificado em praticamente todas as posições, a Internazionale parece ser o lugar ideal para que jovens jogadores desenvolvam seu futebol sem a pressão de ter que decidir partidas logo de cara. Porém, com uma competição tão acirrada no plantel, os garotos acabam sem muito espaço na equipe e são emprestados para times menores para ganhar experiência.

As exceções, nas duas últimas temporadas, foram o lateral Davide Santon e o atacante Mario Balotelli, que conseguiram se firmar e atuam com frequência na equipe principal. E a bola da vez nessa temporada parece ser o volante esloveno Rene Khrin, de 19 anos, que atuou no último domingo contra o Parma e arrancou aplausos da exigente torcida nerazurri.

Adaptação rápida

Nascido em Maribor, segunda maior cidade eslovena, Khrin começou a jogar futebol aos nove anos, no Maribor FC, clube oito vezes campeão nacional. No final de 2006, foi descoberto por toda a Europa em um torneio internacional sub-17 e atraiu o interesse de vários gigantes do continente. A Internazionale, mais rápida, o contratou para a equipe primavera em janeiro de 2007.

Sua adaptação ao novo país, fora as dificuldades com o idioma, foi tranquila. Em parte porquê o goleiro Vid Belec, também esloveno, havia chegado ao clube algumas semanas antes e pôde ajudar seu compatriota. Mas também porque Khrin, logo de cara, conseguiu um lugar na equipe e, aos poucos, foi se tornando um líder dentro de campo até ganhar a braçadeira de capitão.

Já na temporada passada, o volante era observado com atenção pelo técnico José Mourinho, que chegou a relaciona-lo para algumas partidas da Copa da Itália, mas não o colocou em campo. A confiança no garoto, porém, era tanta que Mourinho o chamou de vez para o elenco principal na temporada 2009/10 e o utilizou em alguns jogos da pré-temporada.

A primeira aparição em jogos oficiais não iria demorar acontecer, e no último domingo o volante substituiu Wesley Sneijder no jogo contra o Parma, pela terceira rodada da Série A. Tranqüilo, cumpriu bem o seu papel defensivo e ainda participou do contra ataque que resultou no segundo gol nerazurri, marcado por Diego Milito, que definiu o placar da partida.

O novo Vieira?

O futebol apresentado por Khrin é alvo de comparações frequentes com o dos grandes volantes da Série A italiana, como Pirlo, Cambiasso ou mesmo Cesc Fàbregas, do Arsenal. A qualidade na marcação e no passe, além da confiança que demonstra com a bola, é muito elogiada pelos torcedores, que o enxergam como um potencial substituto de Patrick Vieira, que, aos 32 anos, parece estar na curva descendente de sua carreira futebolística.

Além disso, sua capacidade aérea e a facilidade de chegar na área adversária são outros pontos destacados de seu jogo. Destaque das seleções de base da Eslovênia, Khrin estreou pela seleção principal de seu país no último dia 5, em um amistoso contra a Inglaterra. É provável que, com o sucesso na Itália, o volante ganhe rapidamente a posição de titular em seu país e permaneça na seleção por pelo menos uma década.

Os eslovenos, que não se classificam para uma Copa do Mundo desde 2002, podem voltar à cena em 2010, mas o futebol do país precisa de uma boa chacoalhada. O surgimento de um ídolo como Zlatko Zahovic causaria um bom efeito e revitalizaria a seleção nacional, mas duvida-se que Khrin, como volante, seja capaz de ocupar esse posto. É esperar para ver.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo