Entrevista: Marcelo (Real Madrid)

Sergio Ramos, contundido, cedeu lugar para Arbeloa na lateral direita, dando espaço para você na esquerda. Agora que Ramos voltou aos treinos e está recuperado, o que espera dessa “briga” pela lateral? Você acha que perderá espaço?

Não posso dizer “perder”, creio que estou fazendo meu trabalho, estou treinando como titular. Não sei dizer como vai ser depois da volta de Ramos, mas estive muito bem nesse tempo. Estamos experimentando um projeto novo, e o treinador tenta dividir o espaço no time, para que todos joguem.

Você acredita que pode ser deslocado para o meio-campo na volta de Sergio Ramos?

Sou lateral, e já falei isso para o treinador. Se ele precisar me deslocar, posso fazer isso, mas não é para o que eu treino.

Você acha que essa visibilidade como titular te dá chances na Seleção?

Estou trabalhando muito forte pra isso, estou bem para chegar lá, e acho que tenho chances.

Como você vê as contratações do Real? Acha que um time com tantos jogadores considerados “estrelas” não pode ter conflitos no elenco?

Todo mundo acha que pode complicar, mas não é assim. Aqui estamos todos bem, todo mundo é tratado com igualdade. Cada um tem suas qualidades diferentes, está tudo caminhando bem.

Um time com Cristiano Ronaldo, Kaká, Raúl, Benzema, não está ofensivo demais? Não sobrecarrega a defesa?

Não, acho que não. O treinador está com um projeto para os meias e atacantes, de marcar muito bem lá na frente, na saída de bola adversária, para dificultar que a bola chegue na nossa área.

Você citou algumas mudanças que Manuel Pellegrini fez no grupo. O que mais mudou com ele no comando do time?

Sem dúvida, a filosofia. Antes era muito mais defensiva, agora é ofensiva. Acho que mudou pra melhor, com certeza.

Você não acha que o investimento pesado em reforços não cria pressão demais nos jogadores? Isso não pode ser nocivo?

Pressão com certeza tem. Aqui é sempre assim. No Real Madrid, tem muita cobrança. Os torcedores não querem só a vitória, querem espetáculo, querem um 4 a 0, 5 a 0. Já estamos acostumados. Não acho que seja nocivo.

O que você achou do grupo sorteado?

Na LC não tem grupo mais forte ou mais fraco. Qualquer jogo é difícil e pode ser decisivo. Passando da primeira fase, não se ode mais pensar mais pra frente, cada jogo é um só, e temos que jogar pra ganhar. Antes de começar o torneio, é muito difícil falar. O Milan tem mais história, mas de repente eu os aponto como favoritos e o Zürich pode chegar e surpreender.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo