Entrevista: Éderson (Lyon)

Você é pouco conhecido no Brasil. Acredita que uma boa atuação na LC pode te projetar por aqui?

Com certeza. A LC é a melhor competição do mundo, onde jogam somente equipes de alto nível. Com certeza dá notoriedade no Brasil. Um dos meus objetivos é chegar na Seleção Brasileira, e isso seria certamente um grande passo.

Você pensa em voltar para o Brasil?

Por enquanto não. Já estou há quatro anos e meio na Europa, estou bem adaptado. Quem sabe um dia, até gostaria de conhecer bem o Campeonato Brasileiro e os torneios da América do Sul.Mas, agora, minha vida é aqui.

O que você acha que falta para conseguir a convocação?

Onde quer que você esteja você tem que demonstrar suas qualidades. A Seleção Brasileira é a melhor do mundo, a concorrência é incrível, não é nada fácil chegar lá; E, cada chance tem que ser agarrada com unhas e dentes.

Como você analisa sua evolução na Europa?

Minha passagem pela Seleção Sub-17 abriu portas para mim na Europa. No começo, tive dificuldade em me adaptar, como é normal, mas aprendi muita coisa no nível europeu. É mais disputado, mais agitado. Depois de um período num time modesto, o Nice, hoje estou no Lyon, que é um clube que tem muito mais projeção, tinha jogadores como Juninho e Fred na Seleção… e cada vez atinge níveis mais altos.

Como era atuar ao lado de Juninho Pernambucano?

Sem dúvida alguma, ele era grande referência pra todos aqui. Jogou por oito anos, foi sete vezes campeão francês, ajudou o clube a crescer, para chegar no nível em que está hoje. Com certeza fiquei muito triste com a sua saída, esperava ter convivido mais com ele. Ele era o capitão, aquele cara presente, sempre lá para todos. Quando saiu, deixou um vazio. Mas não adianta lamentar, somos obrigados a dar resultado, e agora temos que focar no presente.

Você acha que Michel Bastos pode dar conta de substituí-lo? O que achou das contratações do Lyon?

Eu tenho que admitir: Juninho vai ser insubstituível no Lyon. Tudo o que ele fez aqui foi incrível. Mas foram boas as contratações. O Michel chuta bem, tem bom volume de jogo. O Lisandro e o Gomis sabem fazer gol, e estão nos ajudando muito o time nesse momento. Ainda é cedo pra dizer, só veremos com o tempo. Mas tem tudo para ser uma excelente equipe.

O que você achou do grupo sorteado?

Acho que está muito equilibrado. LC é assim, tem os grupos mais difíceis e os mais fáceis. A Fiorentina a gente já conhece muito bem, pela última edição. Um adversário já conhece o outro, será um jogo fechado, difícil. O Liverpool também já conhecemos, e sabemos que, mesmo com dificuldades na Inglaterra, eles crescem na LC. O Debrecen temos que ter muita atenção, e conseguir o máximo de pontos contra eles, para tentar classificar contra os outros dois. Temos que fazer de tudo para classificar em primeiro na chave, para termos a vantagem no sorteio. No outro ano, o Bayern de Munique terminou em primeiro, e acabamos caindo com o Barcelona, que se tornou o campeão. De qualquer modo, o mais importante é classificar.

Todas as últimas participações do Lyon foi a mesma coisa: o time é eliminado no mata-mata. O que precisa fazer para mudar isso?

No futebol tem que se ter muita persistência sempre. Apesar da mudança no grupo que temos, todos sabem da dificuldade de se conquistar uma LC. Claro que partiremos pra cima, e colocaremos tudo em campo. Temos que ter paciência e continuar firme. Talvez o clube tenha planos para a LC a longo prazo. Esse título seria, sem dúvida, um sonho para qualquer um.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo