É, mas não foi

Lionel Messi é o Bola de Ouro de 2010, e o primeiro a ser eleito depois da unificação do prêmio com o da Fifa. Pela primeira vez desde que este último começou a ser entregue, em um ano de Copa do Mundo ganhou um jogador que não se destacou no torneio – em 94 ganhou Romário, em 98, Zidane, em 2002, Ronaldo, e em 2006, Cannavaro.

Ninguém discute que Messi é mais jogador que Xavi e Iniesta. O prêmio, entretanto, pelo menos em tese, não é para quem é o melhor jogador, mas para quem teve a melhor temporada. E, assim sendo, não deveria ser de Messi, mas sim de Xavi – ou de Sneijder, que nem chegou à lista final.

Sim, Messi tem jogado muito, indiscutível. Mas ano de Copa do Mundo é ano de Copa do Mundo, e o torneio tem que ter peso. E Messi não fez uma Copa de chamar a atenção. Não importa se o time não ajudou, se o esquema era ruim. Fora do Barcelona, longe de Xavi e de Iniesta, Messi não foi o mesmo.

Não é que seja injusto, nenhum prêmio para Lionel Messi é injusto. Mas seria mais justo se Xavi ganhasse. Mas, enfim, é algo que tem a marca Fifa, certo? Não podia ser perfeito. De qualquer forma, parabéns a Lionel Messi, que ele não tem nada a ver com isso.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo