E Donadoni acertou em…quase tudo

Na pré-convocação da Itália para a Eurocopa, o técnico Roberto Donadoni fez o lógico – e que toda a Itália queria: convocou Alessandro Del Piero, artilheiro do Italiano, mesmo que o juventino não jogue em nenhum dos esquemas que a ‘Azzurra’ utiliza (4-2-3-1, 4-3-3 e 4-1-4-1). O capitão do time de Turim mostrou na reta final da Série A que está em forma e que vale a pena apostar nele.

Donadoni arrisca, no entanto, em apostar em Antonio Cassano, da Sampdoria. O “Genietto” de Bari Vecchia é, sem dúvida, o jogador italiano mais em condição de resolver partidas sozinho, mas ainda tem um temperamento que deixa a pulga atrás da orelha. Até porque vários dos jogadores da seleção não aprovama convocação de alguém tão instável e que não participou da campanha de classificação.

O grande erro de Donadoni é a não convocação de Filippo Inzaghi. O treinador argumenta entre seus amigos que com ‘Pippo’ no time, os meio-campistas têm de fazer um trabalho de marcação mais intenso e deixam o setor menos criativo. Só que Pippo é garantia de gol e raramente deixa um time na mão saindo do banco. Na reta final do Milan, fez 10 gols em sete jogos e não deu a LC ao Milan – quase sozinho – por um triz.

Para piorar, Donadoni não terá um homem de área confiável no caso de contusão de Luca Toni. Del Piero é um segundo atacante no 4-4-2 (ele mesmo não gosta de jogar em outra posição), Quagliarella e Di Natale são muito mais externos de meio-campo do que atacantes, preferindo abrir os jogos pelas laterais, enquanto Cassano ocupa a mesma região que Del Piero. Sobra Borriello, que mesmo tendo feito 19 gols em uma temporada excelente, jamais teve uma atuação fantástica com a camisa azul. Salvo alguma mudança de última hora, Donadoni deve se arrepender.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo