Do interior gaúcho à Seleção

 Luis Antônio Venker de Menezes nasceu no dia 11 de junho de 1962, em Passo do Sobrado, interior gaúcho. Ganhou o apelido de Mano ainda na infância, da irmã. Passou, então, a ser chamado assim por todos os amigos e carregou o nome em sua pouco notória carreira de jogador.

Tanto que em seu site oficial (www.manomenezes.com.br) o período como jogador não merece nem uma simples citação – na internet Mano também é famoso pelo seu Twitter (www.twitter.com/manomenezes), que tem quase 1,5 milhão de seguidores. Antes de cursas educação física, Mano atuou em diversos clubes amadores gaúchos. Era conhecido pelo clichê mais tradicional de um zagueiro: “botinudo”.

A carreira como treinador começou em 1997, no Guarani de Venâncio Aires. Pelo clube conquistou seu primeiro título, já na terceira passagem, em 2002: campeão gaúcho, em um ano que Internacional, Grêmio, Caxias e Juventude não participaram da competição. No mesmo ano assumiu o Brasil de Pelotas, mas ficou pouco tempo na equipe, retornando a Venâncio Aires na seqüência.

Em 2003 teve uma rápida passagem pelo Iraty, do Paraná, e depois assumiu o 15 de Novembro, de Campo Bom. Com o time, começou a ser conhecido nacionalmente. Mano conduziu a pequena equipe gaúcha para as semifinais da Copa do Brasil em 2004 – perdeu para o Santo André, que seria o campeão.

Logo depois foi para o Caxias e, na seqüência, finalmente seu primeiro time grande. Em 2005 tornou-se o técnico do Tricolor Gaúcho e entrou para a história do clube. Primeiro conduziu o time de volta à Série A, após o épico confronto que ficou para a eternidade conhecido como a “Batalha dos Aflitos”, quando o time venceu a Série B ao bater o Náutico, em Recife, com sete jogadores em campo, de maneira heróica.

Nos dois anos seguintes dois títulos estaduais, um terceiro lugar no Brasileirão e uma brilhante campanha com o Grêmio na Libertadores, que terminou com o vice-campeonato, ao perder a decisão para o Boca Juniors de Riquelme.

Foi quando, em 2008, surgiu o convite para assumir o Corinthians. Na última rodada da Série A no ano anterior, Mano, com o Grêmio, decretou o rebaixamento do clube alvinegro, e coube, justamente a ele, reerguer a equipe.

O título da segunda divisão veio sem dificuldades, mas a derrota na final da Copa do Brasil para o Sport foi inesperada. Em 2009 Mano Menezes entrou, definitivamente, para a galeria dos grandes treinadores do país. Com a contratação de Ronaldo, o treinador levou o Corinthians aos títulos do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil. Falhou, porém, na campanha da Libertadores no centenário corinthiano.

Antes conhecido por montar equipes com força na marcação, como nos times gaúchos, Mano conseguiu fazer do Corinthians em 2008 e 2009 um time ofensivo, que jogava com três atacantes, como na última temporada. Em 2010, porém, recuou e voltou a colocar mais meias. Algo que foi muito criticado por boa parte da torcida corinthiana.

Após a eliminação do torneio sul-americano, muito especulou-se sobre sua saída do Parque São Jorge. A diretoria, no entanto, na contramão do pensamento majoritário, renovou o contrato de Mano Menezes, que, agora, encerra-se por motivos maiores.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo