Crença na recuperação

O único representante da Paraíba na Série B do Campeonato Brasileiro sofre para permanecer onde está. Após ter conquistado o acesso em 2008, o Campinense amarga uma péssima temporada na segunda divisão nacional, que não disputava desde 1983. Após dez rodadas, finalmente o time deixou a lanterna do torneio.

Na última rodada, em Campina Grande, diante de sua fanática torcida, a Raposa, como é conhecido o time, conquistou uma emocionante vitória sobre o Juventude no estádio Amigão. Graças ao frango do goleiro Gatti, o atacante Fábio Junior marcou o único gol da partidas aos 44 minutos do segundo tempo. Foi apenas o segundo triunfo do Campinense na competição.

O jogo, porém, marcou também a reestreia de Freitas Nascimento no comando do time. Depois de nove rodadas com oito derrotas, Argel Fucks desistiu e pediu para sair. A diretoria agiu rápido e trouxe de volta o treinador da Série C. Logo de cara a estrela do técnico brilhou. No clube, espera-se, agora, que esta seja a primeira vitória de uma reação mais longa e duradoura – o problema, no entanto, é que a próxima partida é contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, nesta terça-feira.

De qualquer modo, o jogo pode servir como alento para os torcedores, que têm se mantido fiéis ao time. Até agora, a média do Campinense como mandante é de 4824 pessoas. Vale lembrar que Campina Grande é uma cidade de 380 mil habitantes, onde a maioria dos torcedores é bi-time (Flamengo e um local). Por isso a média, apesar de, em números totais, não ser enorme, não pode ser desprezada.

Freitas Nascimento logo que chegou já reintegrou alguns jogadores e dispensou outros. Voltaram ao time os meias Washington e Almir, além do atacante Edmundo, enquanto o volante Mica, o meia Guilherme e o atacante Rafael Porcellis rescindiram seus contratos – este último chegou ao longo da competição e nem estreou. E a boa notícia para os torcedores é que a diretoria negocia o retorno do lateral-esquerdo Raí.

O mais importante, agora, é que a equipe tenha os pés no chão e lute para conquistar ponto a ponto. O time, realmente, é fraco, mas unido pode superar as adversidades. O goleiro Fabiano, após a vitória sobre o Juventude, foi bem claro sobre as previsões para o grupo. “Toda caminhada começa com o primeiro passo e ele foi dado”.

Média de público

Aproveitando a deixa sobre a média de público, aí vai a lista das 20 equipes da Série B, atualizada até a décima rodada. Mais uma vez os times pequenos de São Paulo e Rio de Janeiro são decepções.

Média / Clube / Jogos
12.350 / Ceará / 4
9.881 / Bahia / 5
9.773 / Vasco / 5
7.154 / Figueirense / 5
7.108 / Guarani / 5
6.859 / América / 5
6.728 / Fortaleza / 5
5.555 / Vila Nova / 5
5.000 / Ponte Preta / 5
4.909 / Paraná / 4
4.824 / Campinense / 6
4.522 / Brasiliense / 4
3.776 / ABC / 4
2.593 / Portuguesa / 4
2.364 / Atlético-GO / 4
2.041 / Juventude / 5
1.580 / Ipatinga / 4
932 / São Caetano / 4
664 / Bragantino / 5
290 / Duque de Caxias / 4

O maior público até agora foi na partida em que o Ceará foi derrotado em casa pelo Vasco por 2 a 0, pela segunda rodada: 27.629 pagantes. Já o pior, 172 pagantes, foi pela quarta rodada, quando o Duque de Caxias perdeu para o Vila Nova por 2 a 1. A média da Série B é de 5.065.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo