Clichy: um “milagre” para a medicina

De temporada em temporada, é cada vez mais raro encontrarmos laterais ofensivos no futebol europeu. Atualmente, grande parte dos técnicos do velho continente dá preferência a jogadores que marcam bem e pouco sobem ao ataque, do que àqueles que têm facilidade para apoiar contribuem com assistências. Fato compreensível, por habitualmente, os times jogarem com duas linhas de quatro jogadores e dois atacantes. Na lateral-esquerda do Arsenal é possível encontrar alguém com o equilíbrio de todas as características de um lateral.

O francês Gael Clichy é o tipo de jogador veloz, bastante eficiente na marcação, bom no apoio e nos cruzamentos, tanto é que em algumas oportunidades, fora aproveitado por Arsène Wenger, como meia pelo lado esquerdo. Clichy chegou aos Gunners com 18 anos de idade, na temporada 2003/04, vindo do AS Cannes. Durante muito tempo, foi reserva de Ashley Cole na equipe londrina e em seu primeiro de clube conseguiu jogar apenas 12 partidas pela Premier League, o suficiente para ganhar uma medalha ao final da temporada e se tornar o jogador mais jovem a ser campeão do principal campeonato da Inglaterra.

Enfrentando as contusões

Na temporada 2005/06, Clichy teria a chance de mostrar suas qualidades quando Cole teve uma contusão séria e ficaria mais de seis meses afastado dos gramados. Curiosamente, não foi a vez do lateral francês, que acabou tendo a mesma contusão que o jogador da seleção inglesa.

Recuperado antes de Cole, o jogador de 22 anos voltou a jogar na semifinal da Liga dos Campeões, contra o Villareal, no dia 25 de maio de 2006. Até então, o volante Flamini vinha atuando improvisado na lateral esquerda. E nesta mesma partida, numa imensa infelicidade, Clichy se contundiu novamente, perdendo a oportunidade de disputar o título da competição contra o Barcelona.

O francês voltou a jogar cinco meses depois, e naquela altura, era a única opção na lateral esquerda dos Gunners, já que Ashley Cole havia sido vendido para o Chelsea. Desde então, o camisa 22 se firmou de vez na posição e deixou de sofrer com as tantas contusões de sua curta carreira, atuando em 27 partidas do clube de Londres, na Premier League.

Na atual temporada, o jogador de 22 anos continua sendo a principal opção na lateral esquerda dos Gunners e, para a surpresa do treinador Arsène Wenger, não esteve presente na última convocação da França, feita pelo técnico Raymond Domenech. Clichy nunca fez parte da seleção principal dos Blues, mas já atuou em dez jogos time sub-21 de seu país.

A quase morte

Clichy já sofreu bastante com as inúmeras lesões que teve como atleta, mas ainda quando criança, levou um susto e quase perdeu a vida. Ainda menino, numa tentativa de pular uma cerca de metal, o jogador enroscou seu anel e perdeu um dos dedos mão. Numa cirurgia que durou aproximadamente sete horas, o lateral do Arsenal, enquanto tinha o dedo recolocado, teve uma parada cardíaca devido a problemas em seus pulmões. Somente depois de 20 segundos, os médicos conseguiram reanimá-lo e trouxeram-no de volta ao estado normal. Segundo eles, foi um milagre Gaël Clichy ter sobrevivido.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo